Aleteia
La fête du jour

Terça-feira, 25 de julho
São Cristóvão

Mártir

São Cristóvão (do latim: Christophorus) é um santo venerado por católicos romanos, ortodoxos e umbandistas (no sincretismo afro-brasileiro). Considerado um mártir cristão, São Cristóvão foi morto durante o reinado de Décio, imperador romano do século III. Apesar de ser um dos santos mais populares do mundo, muito pouco se sabe ao certo sobre sua vida. São Cristóvão é venerado em 9 de março na Grécia, em 9 de maio pela Igreja Ortodoxa, em 16 de novembro em Cuba e em 10 de julho em algumas localidades da Espanha. Na Igreja católica, o calendário romano do período tridentino permitia a celebração de São Cristóvão apenas em missas privadas, no dia 25 de julho. Esta restrição foi removida mais tarde. Apesar de a Igreja Católica ainda aprovar a sua devoção, ela removeu seu dia festivo do calendário católico de santos em 1969. Na época, a igreja declarou que a celebração não era de tradição romana, tendo em vista sua adesão tardia (por volta do ano de 1550) e limitada ao calendário romano; argumentava-se também que quase nada de histórico é conhecido sobre a vida e a morte de São Cristóvão.

A lenda de São Cristóvão, de origem grega, provavelmente teve início no século VI. Em meados do século IX, já havia se espalhado pela França. Com muita probabilidade, originalmente Cristóvão era apenas um mártir; de fato, éassim que está registrado nos antigos martirológios. A passagem simples sobre sua vida logo deu lugar a lendas mais elaboradas. A ideia vinculada a seu nome, primeiramente entendida no sentido espiritual, como “aquele que carrega Cristo no coração”, foi tomando um sentido mais literal por volta dos séculos XII e XIII, se tornando o principal feito do santo.

Antes da canonização formal de São Cristóvão no século XV, muitos homens eram proclamados santos por aclamação popular. Isto significa que os processos de canonização de então se davam de maneira muito mais rápida, mas é preciso dizer que muitos dos santos de então eram baseados apenas em lendas, na mitologia pagã ou até mesmo em outras religiões. Em 1969, a Igreja Católica examinou todos os santos de seu calendário para ver se realmente havia evidências históricas de que eles existiram e viveram uma vida de santidade. Nessa análise, a Igreja concluiu que havia pouca evidência de que muitos santos, incluindo alguns muito populares, tivessem existido de fato. Cristóvão foi um dos santos cuja vida teria sido baseada em grande parte em lendas e, assim sendo, teve seu nome retirado do calendário hagiológico, sendo conservado seu culto apenas nos calendários das igrejas locais. Cristóvão sempre foi um santo muito popular, sendo reverenciado especialmente por atletas, marinheiros, barqueiros e viajantes. No Brasil sua devoção como o padroeiro dos motoristas é muito popular.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

Em toda a terra se espalha o seu anúncio,
e sua voz pelos confins do universo!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino

Ó São Tiago, vos trazemos
um canto alegre de louvor.
Da simples arte de pescar,
Jesus aos cimos vos levou.

Ao seu chamado obedecendo,
com vosso irmão tudo deixastes
e do seu Nome e do seu Verbo,
ardente arauto vos tornastes.

Ó testemunha fulgurante
da mão direita do Senhor,
vedes no monte a glória eterna,
no horto vedes a sua dor.

E quando a taça do martírio
chamou por vós, pronto atendestes,
como primeiro entre os apóstolos
pelo Senhor dela bebestes.

Fiel discípulo de Cristo,
da luz do céu semeador,
iluminai os corações
pela esperança, fé e amor.

Dai-nos seguir com prontidão
a Jesus Cristo e seus preceitos,
para podermos, junto a vós,
cantar-lhe o hino dos eleitos.

Cântico Dn 3,52-57
O Criador é bendito para sempre (Rm 1,25).

Sede bendito, Senhor Deus de nossos pais.
A vós louvor, honra e glória eternamente!
Sede bendito, nome santo e glorioso.
A vós louvor, honra e glória eternamente!

No templo santo onde refulge a vossa glória.
A vós louvor, honra e glória eternamente!
E em vosso trono de poder vitorioso.
A vós louvor, honra e glória eternamente!

Sede bendito, que sondais as profundezas.
A vós louvor, honra e glória eternamente!
E superior aos querubins vos assentais.
A vós louvor, honra e glória eternamente!

Sede bendito no celeste firmamento.
A vós louvor, honra e glória eternamente!
Obras todas do Senhor, glorificai-o.
A Ele louvor, honra e glória eternamente!

Glória ao Pai...

Leitura breve Ef 2,19-22
Já não sois mais estrangeiros nem migrantes, mas concidadãos dos santos. Sois da família de Deus. Vós fostes integrados no edifício que tem como fundamento os apóstolos e os profetas, e o próprio Jesus Cristo como pedra principal. É nele que toda a construção se ajusta e se eleva para formar um templo santo no Senhor. E vós também sois integrados nesta construção, para vos tornardes morada de Deus pelo Espírito.

Fareis deles os chefes por toda a terra.
Lembrarão vosso nome, Senhor, para sempre.

BENEDICTUS

Jesus tomou a Pedro e os irmãos João e Tiago e os levou a um alto monte, e ali, transfigurou-se diante deles.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
No dia em que celebramos a herança espiritual celeste que recebemos de São Tiago, agradeçamos a Deus, pela abundância de seus dons:

R. O coro dos apóstolos vos louva, Senhor!

Louvor a vós, Senhor, pela mesa do vosso Corpo e Sangue que recebemos por intermédio dos apóstolos;
– por ela somos alimentados e vivemos. R.

Louvor a vós, Senhor, pela mesa de vossa Palavra, preparada para nós pelos apóstolos;
– por ela recebemos luz e alegria. R.

Louvor a vós, Senhor, por vossa santa Igreja, edificada sobre o fundamento dos apóstolos;
– com ela formamos um só Corpo. R.

Louvor a vós, Senhor, pelos sacramentos do Batismo e da Penitência que confiastes aos apóstolos;
– por eles somos lavados de todo pecado. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, que consagrastes os primeiros trabalhos dos Apóstolos com o sangue de São Tiago, concedei que a vossa Igreja seja confirmada pelo seu testemunho e sustentada pela sua proteção. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação

Participantes da paixão de Cristo

Os filhos de Zebedeu pedem a Cristo: “Deixa-nos sentar um à tua direita e outro, à tua esquerda” (Mc 10,37). Que resposta lhes dá o Senhor? Para mostrar que no seu pedido nada havia de espiritual, e se soubessem o que pediam não teriam ousado fazê-lo, diz: “Não sabeis o que estais pedindo” (Mt 20,22), isto é, “não sabeis como é grande, admirável e superior aos próprios poderes celestes aquilo que pedis”. Depois acrescenta: “Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” (Mt 20,22). É como se lhes dissesse: “Vós me falais de honras e de coroas; eu, porém, de combates e de suores. Não é este o tempo das recompensas, nem é agora que minha glória há de se manifestar. Mas a vida presente é de morte violenta, de guerra e de perigos”.
Reparai como o Senhor os atrai e exorta, pelo modo de interrogar. Não perguntou: “Podeis suportar os suplícios? Podeis derramar vosso sangue?” Mas indagou: “Por acaso podeis beber o cálice?” E para estimulá-los, ainda acrescentou: “que eu vou beber?” Assim, falava para que, em união com ele, se tornassem mais decididos. Chama sua paixão de batismo, para dar a entender que os sofrimentos haviam de trazer uma grande purificação para o mundo inteiro. Então os dois discípulos lhe disseram: “Podemos” (Mt 20,22). Prometem imediatamente, cheios de fervor, sem perceber o alcance do que dizem, mas com a esperança de obter o que pediam.
O que afirma o Senhor? “De fato, vós bebereis do meu cálice” (Mt 20,23), e “sereis batizados com o batismo com que eu devo ser batizado” (Mc 10,39). Grandes são os bens que lhes anuncia, a saber: “Sereis dignos de receber o martírio e sofrereis comigo; terminareis a vida com morte violenta e assim participareis da minha paixão”. Mas “não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou” (Mt 20,23). Somente depois de lhes ter levantado os ânimos, e de torná-los capazes de superar a tristeza, é que corrigiu o pedido que fizeram.
Então, os outros dez discípulos ficaram irritados contra os dois irmãos (Mt 20,24). Vedes como todos eles eram imperfeitos, tanto os que tentavam ficar acima dos outros, como os dez que tinham inveja dos dois? Mas, como já tive ocasião de dizer, observai-os mais tarde e vereis como estão livres de todos esses sentimentos. Prestai atenção como o mesmo apóstolo João, que se adianta agora por este motivo, cederá sempre o primeiro lugar a Pedro, quer para usar da palavra, quer para fazer milagres, conforme se lê nos Atos dos Apóstolos. Tiago, porém, não viveu muito mais tempo. Desde o princípio, pondo de parte toda aspiração humana, elevou-se a tão grande santidade que bem depressa recebeu a coroa do martírio.

São João Crisóstomo (349-407)
Arcebispo de Constantinopla
Das Homilias sobre Mateus 65,2-4

Oração da tarde

Em toda a terra se espalha o seu anúncio,
e sua voz pelos confins do universo!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino

Exulte o céu com louvores,
e a terra cante vitória:
Dos enviados de Cristo
os astros narram a glória.

Ó vós, juízes dos tempos,
luz verdadeira do mundo,
dos corações que suplicam
ouvi o grito profundo.

Dizendo só uma palavra,
os céus fechais ou abris.
Mandai que sejam desfeitos
de nossa culpa os ardis.

À vossa voz obedecem
enfermidade e saúde.
Sarai nossa alma tão frágil
e dai-nos paz e virtude.

E quando o Cristo vier
no fim dos tempos julgar,
das alegrias eternas
possamos nós partilhar.

Louvor e glória ao Deus vivo,
que em vós nos deu sua luz,
o Evangelho da vida
que para o céu nos conduz.
Salmo 115(116B) 10-19
Como o Cristo, nós esperamos tudo das mãos do Pai e sabemos que não seremos decepcionados.

Guardei a minha fé, mesmo dizendo:
'É demais o sofrimento em minha vida!'
Confiei, quando dizia na aflição:
'Todo homem é mentiroso! Todo homem!'

Que poderei retribuir ao Senhor Deus
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
Elevo o cálice da minha salvação,
invocando o nome santo do Senhor.
Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido.

É sentida por demais pelo Senhor
a morte de seus santos, seus amigos.
Eis que sou o vosso servo, ó Senhor,
vosso servo que nasceu de vossa serva;
mas me quebrastes os grilhões da escravidão!

Oferecer-te-ei um sacrifício de louvor,
invocando o nome santo do Senhor.
Vou cumprir minhas promessas ao Senhor
na presença de seu povo reunido;
nos átrios da casa do Senhor,
em teu meio, Jerusalém!

Glória ao Pai...

Leitura breve Ef 4,11-13
Cristo instituiu alguns como apóstolos, outros como profetas, outros ainda como evangelistas, outros, enfim, como pastores e mestres. Assim, ele capacitou os santos para o ministério, para edificar o corpo de Cristo, até que cheguemos todos juntos à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, ao estado do homem perfeito e à estatura de Cristo em sua plenitude.

Anunciai entre as nações a glória do Senhor. E as suas maravilhas entre os povos do universo.

MAGNIFICAT

Quem quiser ser o maior, seja o vosso servidor.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Irmãos, edificados sobre o fundamento dos apóstolos, roguemos a Deus Pai todo-poderoso em favor de seu povo santo; e digamos:

R. Lembrai-vos, Senhor, da vossa Igreja!

Vós quisestes, ó Pai, que o vosso Filho, ressuscitado dos mortos, aparecesse em primeiro lugar aos apóstolos;
– fazei de nós testemunhas do vosso Filho até os confins da terra. R.

Vós, que enviastes vosso Filho ao mundo para evangelizar os pobres,
– fazei que o Evangelho seja pregado a toda criatura. R.

Vós, que enviastes vosso Filho para semear a palavra do reino,
– concedei-nos colher na alegria os frutos da palavra semeada com o nosso trabalho. R.

Vós, que enviastes vosso Filho para reconciliar o mundo convosco pelo seu sangue,
– fazei que todos nós colaboremos na obra da reconciliação de toda a humanidade. R.

Vós, que glorificastes vosso Filho à vossa direita nos céus,
– recebei no reino da felicidade eterna os nossos irmãos e irmãs falecidos. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho

Evangelho segundo S. Mateus 20,20-28.
Naquele tempo, a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com os filhos e prostrou-se para Lhe fazer um pedido.
Jesus perguntou-lhe: «Que queres?». Ela disse-Lhe: «Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu reino um à tua direita e outro à tua esquerda».
Jesus respondeu: «Não sabeis o que estais a pedir. Podeis beber o cálice que Eu hei-de beber?». Eles disseram: «Podemos».
Então Jesus declarou-lhes: «Bebereis do meu cálice. Mas sentar-se à minha direita e à minha esquerda não pertence a Mim concedê-lo; é para aqueles a quem meu Pai o designou».
Os outros dez, que tinham escutado, indignaram-se com os dois irmãos.
Mas Jesus chamou-os e disse-lhes: «Sabeis que os chefes das nações exercem domínio sobre elas e os grandes fazem sentir sobre elas o seu poder.
Não deve ser assim entre vós. Quem entre vós quiser tornar-se grande seja vosso servo
e quem entre vós quiser ser o primeiro seja vosso escravo.
Será como o filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida pela redenção dos homens».

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement