Aleteia
La fête du jour

Sexta-feira 8 de setembro
Bem-aventurado Frederico Ozanam

Pai de Família (†1853)

Bem-aventurado Frederico Ozanam

Frederico Ozanam nasceu aos 23 de abril de 1813, na cidade de Mil√£o, no norte da It√°lia. Era filho de Jean-Antoine, um m√©dico de grande fama, procurado por pacientes de alta condi√ß√£o social. Apesar de sua grande fama, ele n√£o deixava de atender os doentes pobres, com o mesmo cuidado que dedicava aos pacientes ricos. Sua m√£e, Marie Ozanam, era tamb√©m muito dedicada aos pobres e enfermos. Desde pequenino, Frederico segue o exemplo de abnega√ß√£o e dedica√ß√£o caridosa ao pr√≥ximo, oferecido por seus pais. Depois de uma juventude transcorrida em Li√£o (Fran√ßa), em 1831 Frederico vai para Paris: deseja estudar na Sorbonne, uma das mais conceituadas universidades do pa√≠s. Uma vez na universidade, ele se torna um frequentador dos ambientes intelectuais, come√ßando a colaborar com artigos em jornais e revistas. Nesses ambientes ele se destaca, defendendo sempre os princ√≠pios cat√≥licos. De fato, certo dia, ‚Äúdepois de sair vencedor de um debate com um estudante socialista sobre o compromisso social dos cat√≥licos, anuncia a um amigo a inten√ß√£o de realizar finalmente um projeto, que h√° tempo lhe era muito querido: uma ‚ÄėConfer√™ncia de caridade‚Äô, uma associa√ß√£o de benefic√™ncia para a assist√™ncia dos pobres, ‚Äėa fim de p√īr em pr√°tica o nosso catolicismo‚Äô‚ÄĚ. √Č assim que em maio de 1833, nascem as Confer√™ncias de S√£o Vicente de Paulo. Certamente nenhum de seus jovens fundadores ‚Äď todos na casa dos vinte anos ‚Äď poderia imaginar os desdobramentos que essa sociedade iria conquistar. Ap√≥s se formar em Direito no ano de 1836 e em Letras em 1839, Ozanam se torna professor na Sorbonne. Em 1841 se casar√° com Am√©lie Soulacroix e juntos ter√£o uma filha. Vive nos meios intelectuais e pol√≠ticos como um cat√≥lico ativo: procura ajudar os pobres e defende com veem√™ncia uma pol√≠tica solid√°ria. Em 1846 come√ßa a sofrer de uma grave infec√ß√£o renal que, aos poucos, vai minando sua vida. NO ano de sua morte, em 1853, percebendo que seu fim estava pr√≥ximo, Frederico chega a dirigir-se a Deus com estas palavras: ‚ÄúSenhor, quero o que tu queres, quero como o queres e por todo o tempo que o quiseres, quero-o porque tu o queres‚ÄĚ. Na noite de 8 de setembro de 1853, em Marselha, Frederico entregava seu esp√≠rito. Frederico tornou-se um modelo de ap√≥stolo leigo, erudito, empenhado e dedicado ao servi√ßo dos mais pobres, que a Igreja apresentaria a todos os fi√©is, mas sobretudo aos jovens, durante uma Missa presidida por S√£o Jo√£o Paulo II, no dia 22 de Agosto, em Paris, na qual foi beatificado Frederico Ozanam. Na origem da beatifica√ß√£o, estava o caso da cura milagrosa de uma crian√ßa brasileira, de apenas dezoito meses, afetada de uma grave forma de difteria, que nos primeiros dias de Fevereiro de 1926, em Nova Friburgo (RJ), obteve a gra√ßa por intercess√£o do Servo de Deus Frederico Ozanam. Esta cura foi reconhecida pela Junta m√©dica da Congrega√ß√£o para as Causas dos Santos a 22 de Junho de 1995, e confirmada de modo un√Ęnime pelos Consultores te√≥logos, na reuni√£o de 24 de Novembro do mesmo ano.

Frederico Ozanam nasceu aos 23 de abril de 1813, na cidade de Mil√£o, no norte da It√°lia. Era filho de Jean-Antoine, um m√©dico de grande fama, procurado por pacientes de alta condi√ß√£o social. Apesar de sua grande fama, ele n√£o deixava de atender os doentes pobres, com o mesmo cuidado que dedicava aos pacientes ricos. Sua m√£e, Marie Ozanam, era tamb√©m muito dedicada aos pobres e enfermos. Desde pequenino, Frederico segue o exemplo de abnega√ß√£o e dedica√ß√£o caridosa ao pr√≥ximo, oferecido por seus pais. Depois de uma juventude transcorrida em Li√£o (Fran√ßa), em 1831 Frederico vai para Paris: deseja estudar na Sorbonne, uma das mais conceituadas universidades do pa√≠s. Uma vez na universidade, ele se torna um frequentador dos ambientes intelectuais, come√ßando a colaborar com artigos em jornais e revistas. Nesses ambientes ele se destaca, defendendo sempre os princ√≠pios cat√≥licos. De fato, certo dia, ‚Äúdepois de sair vencedor de um debate com um estudante socialista sobre o compromisso social dos cat√≥licos, anuncia a um amigo a inten√ß√£o de realizar finalmente um projeto, que h√° tempo lhe era muito querido: uma ‚ÄėConfer√™ncia de caridade‚Äô, uma associa√ß√£o de benefic√™ncia para a assist√™ncia dos pobres, ‚Äėa fim de p√īr em pr√°tica o nosso catolicismo‚Äô‚ÄĚ. √Č assim que em maio de 1833, nascem as Confer√™ncias de S√£o Vicente de Paulo. Certamente nenhum de seus jovens fundadores ‚Äď todos na casa dos vinte anos ‚Äď poderia imaginar os desdobramentos que essa sociedade iria conquistar. Ap√≥s se formar em Direito no ano de 1836 e em Letras em 1839, Ozanam se torna professor na Sorbonne. Em 1841 se casar√° com Am√©lie Soulacroix e juntos ter√£o uma filha. Vive nos meios intelectuais e pol√≠ticos como um cat√≥lico ativo: procura ajudar os pobres e defende com veem√™ncia uma pol√≠tica solid√°ria. Em 1846 come√ßa a sofrer de uma grave infec√ß√£o renal que, aos poucos, vai minando sua vida. NO ano de sua morte, em 1853, percebendo que seu fim estava pr√≥ximo, Frederico chega a dirigir-se a Deus com estas palavras: ‚ÄúSenhor, quero o que tu queres, quero como o queres e por todo o tempo que o quiseres, quero-o porque tu o queres‚ÄĚ. Na noite de 8 de setembro de 1853, em Marselha, Frederico entregava seu esp√≠rito. Frederico tornou-se um modelo de ap√≥stolo leigo, erudito, empenhado e dedicado ao servi√ßo dos mais pobres, que a Igreja apresentaria a todos os fi√©is, mas sobretudo aos jovens, durante uma Missa presidida por S√£o Jo√£o Paulo II, no dia 22 de Agosto, em Paris, na qual foi beatificado Frederico Ozanam. Na origem da beatifica√ß√£o, estava o caso da cura milagrosa de uma crian√ßa brasileira, de apenas dezoito meses, afetada de uma grave forma de difteria, que nos primeiros dias de Fevereiro de 1926, em Nova Friburgo (RJ), obteve a gra√ßa por intercess√£o do Servo de Deus Frederico Ozanam. Esta cura foi reconhecida pela Junta m√©dica da Congrega√ß√£o para as Causas dos Santos a 22 de Junho de 1995, e confirmada de modo un√Ęnime pelos Consultores te√≥logos, na reuni√£o de 24 de Novembro do mesmo ano.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração para esta manhã

Adoremos Jesus Cristo, celebrando o nascimento de Maria.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Dona e Senhora da terra,
do céu Rainha sem par,
Virgem M√£e que um Deus encerra,
suave Estrela do mar!

Tua beleza fulgura,
cingida embora de véus,
pois nos trouxeste, t√£o pura,
o próprio Filho de Deus.

Hoje é o teu dia: nasceste;
vieste sem mancha à luz:
com teu natal tu nos deste
o do teu Filho Jesus.

Em ti celeste e terrena,
o nosso olhar se compraz,
Rainha santa e serena,
que a todos trazes a paz.

Louvado o Deus trino seja,
suba ao céu nosso louvor,
pois quis tornar M√£e da Igreja
a própria Mãe do Senhor.
Salmo                                ..    ...................... 62 (63), 2-9.

Vigia diante de Deus, quem rejeita as obras das trevas (cf. 1Ts 5,5)

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!
Desde a aurora ansioso vos busco!
A minh'alma tem sede de vós,
minha carne também vos deseja,
como terra sedenta e sem √°gua!

Venho, assim, contemplar-vos no templo,
para ver vossa glória e poder.
Vosso amor vale mais do que a vida:
e por isso meus l√°bios vos louvam.

Quero, pois, vos louvar pela vida,
e elevar para vós minhas mãos!
A minh'alma ser√° saciada,
como em grande banquete de festa;
cantar√° a alegria em meus l√°bios,
ao cantar para vós meu louvor!

Penso em vós no meu leito, de noite,
nas vigílias suspiro por vós!
Para mim fostes sempre um socorro;
de vossas asas à sombra eu exulto!
Minha alma se agarra em vós;
com poder vossa m√£o me sustenta.

Glória ao Pai...

Leitura breve                                                             Is 11,1-3a
Nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor; sobre ele repousará o espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus; no temor do Senhor encontra ele seu prazer.

O Senhor a escolheu, entre todas preferida.
O Senhor a fez morar em sua santa habitação.

BENEDICTUS
Vosso natal, ó Mãe de Deus, alegrou o mundo inteiro:
de vós nasceu o Sol da justiça, Jesus Cristo, nosso Deus,
que nos trouxe a grande bênção; dissolvendo a maldição
e humilhando a própria morte, deu-nos vida sempiterna.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos, 

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança 

e o juramento a Abra√£o, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo, 

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino, 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

anunciando ao seu povo a salvação,
que est√° na remiss√£o de seus pecados;

pela bondade e compaix√£o de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados 

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz. 

Glória ao Pai...

Preces
Celebremos nosso Salvador, que se dignou nascer da Virgem Maria; e peçamos:

R. Senhor, que a vossa Mãe interceda por nós!

Sol de justiça, a quem a Virgem Imaculada precedeu como aurora resplandecente,
‚Äď concedei que caminhemos sempre √† luz da vossa presen√ßa. R.

Palavra eterna do Pai, que escolhestes Maria como arca incorruptível para vossa morada,
‚Äď livrai-nos da corrup√ß√£o do pecado. R.

Salvador do mundo, que tivestes vossa Mãe junto à cruz,
‚Äď concedei-nos, por sua intercess√£o, a gra√ßa de participar generosamente nos vossos sofrimentos. R.

Jesus de bondade, que, pregado na cruz, destes Maria por M√£e a Jo√£o,
‚Äď fazei que vivamos tamb√©m como seus filhos. R.
(Inten√ß√Ķes livres)

Pai nosso ...

Oração
Abri, ó Deus, para os vossos servos e servas os tesouros da vossa graça: e assim como a maternidade de Maria foi a aurora da salvação, a festa do seu nascimento aumente em nós a vossa paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Adoremos Jesus Cristo, celebrando o nascimento de Maria.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém

Hino

Dona e Senhora da terra,

do céu Rainha sem par,

Virgem M√£e que um Deus encerra,

suave Estrela do mar!

Tua beleza fulgura,

cingida embora de véus,

pois nos trouxeste, t√£o pura,

o próprio Filho de Deus.

Hoje é o teu dia: nasceste;

vieste sem mancha à luz:

com teu natal tu nos deste

o do teu Filho Jesus.

Em ti celeste e terrena,

o nosso olhar se compraz,

Rainha santa e serena,

que a todos trazes a paz.

Louvado o Deus trino seja,

suba ao céu nosso louvor,

pois quis tornar M√£e da Igreja

a própria Mãe do Senhor.

Salmo                                ..    ...................... 62 (63), 2-9.

Vigia diante de Deus, quem rejeita as obras das trevas (cf. 1Ts 5,5)

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus!

Desde a aurora ansioso vos busco!

A minh'alma tem sede de vós,

minha carne também vos deseja,

como terra sedenta e sem √°gua!

Venho, assim, contemplar-vos no templo,

para ver vossa glória e poder.

Vosso amor vale mais do que a vida:

e por isso meus l√°bios vos louvam.

Quero, pois, vos louvar pela vida,

e elevar para vós minhas mãos!

A minh'alma ser√° saciada,

como em grande banquete de festa;

cantar√° a alegria em meus l√°bios,

ao cantar para vós meu louvor!

Penso em vós no meu leito, de noite,

nas vigílias suspiro por vós!

Para mim fostes sempre um socorro;

de vossas asas à sombra eu exulto!

Minha alma se agarra em vós;

com poder vossa m√£o me sustenta.

Glória ao Pai...

Leitura breve                                                             Is 11,1-3a

Nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor; sobre ele repousará o espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus; no temor do Senhor encontra ele seu prazer.

O Senhor a escolheu, entre todas preferida.

O Senhor a fez morar em sua santa habitação.

BENEDICTUS

Vosso natal, ó Mãe de Deus, alegrou o mundo inteiro:

de vós nasceu o Sol da justiça, Jesus Cristo, nosso Deus,

que nos trouxe a grande bênção; dissolvendo a maldição

e humilhando a própria morte, deu-nos vida sempiterna.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da m√£o de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abra√£o, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que est√° na remiss√£o de seus pecados;

pela bondade e compaix√£o de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte est√£o sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces

Celebremos nosso Salvador, que se dignou nascer da Virgem Maria; e peçamos:

  1. Senhor, que a vossa Mãe interceda por nós!

Sol de justiça, a quem a Virgem Imaculada precedeu como aurora resplandecente,

‚Äď concedei que caminhemos sempre √† luz da vossa presen√ßa. R.

Palavra eterna do Pai, que escolhestes Maria como arca incorruptível para vossa morada,

‚Äď livrai-nos da corrup√ß√£o do pecado. R.

Salvador do mundo, que tivestes vossa Mãe junto à cruz,

‚Äď concedei-nos, por sua intercess√£o, a gra√ßa de participar generosamente nos vossos sofrimentos. R.

Jesus de bondade, que, pregado na cruz, destes Maria por M√£e a Jo√£o,

‚Äď fazei que vivamos tamb√©m como seus filhos. R.

(Inten√ß√Ķes livres)

Pai nosso ...

Oração

Abri, ó Deus, para os vossos servos e servas os tesouros da vossa graça: e assim como a maternidade de Maria foi a aurora da salvação, a festa do seu nascimento aumente em nós a vossa paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação do dia

O que nela foi gerado vem do Espírito Santo.

Hoje celebramos o nascimento da Bem-aventurada Virgem Maria, que quem nasceu aquele que √© a vida de todos. Hoje nasceu a Virgem, da qual quis nascer aquele que √© a salva√ß√£o de todos, afim de que aqueles que nasceram para morrer, pudessem renascer para a vida. Hoje nasceu nossa nova M√£e, a que aniquilou a maldi√ß√£o de Eva, nossa primeira m√£e; assim, por ela, herdamos agora a b√™n√ß√£o, n√≥s, que de nossa primeira m√£e, nasc√™ramos sob a maldi√ß√£o. Sim, ela √© verdadeiramente uma M√£e nova, que rejuvenesceu aos filhos envelhecidos, que curou o mal de um envelhecimento heredit√°rio, assim como todas as demais formas de envelhecimento que se tinham adicionado. Sim, ela √© uma nova M√£e, ela que, permanecendo virgem, deu √† luz um prod√≠gio t√£o novo; ela que deu a vida √†quele que criara o mundo. Que novidade mais maravilhosa √© essa virgindade fecunda! Todavia, √© mais maravilhosa a novidade do fruto que ela d√° ao mundo. Perguntas-te como uma virgem deu √† luz ao Salvador? Pois, do mesmo modo que a flor da vinha propaga seu perfume. Muito tempo antes do nascimento de Maria, o Esp√≠rito que ia habit√°-la, diz em sue nome: ‚ÄúIgual √† vinha, eu te produzi um doce odor‚ÄĚ. Assim como a flor n√£o se altera pelo fato de propagar seu perfume, assim tamb√©m a pureza de Maria n√£o se altera por ter dado fruto: o Salvador

Bem-aventurado Guerrico de Igny
Abade cisterciense (1080-1157).

Oração para esta tarde

Meu amado me diz: Levanta-te, amada minha, formosa minha, e vem!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
√ď flor√£o da humana ra√ßa,
virginal M√£e de Jesus,
tu, aos filhos da desgraça,
vens fazer filhos da luz.

J√° trazendo a realeza
ao nascer do rei Davi,
vês crescer tua nobreza,
quando Deus nasce de ti.

Tua luz venceu a treva
do pecado original,
transformando os filhos de Eva
em nação sacerdotal.

Tua prece nos consiga
de Deus Pai pleno perd√£o,
e, calcada a culpa antiga,
a divina comunh√£o.

Ao Deus trino, Virgem pura,
erga o homem seu louvor;
restauraste a criatura,
dando à luz o Criador.
Salmo                                 ..............................      ..........121(122)

Que alegria, quando ouvi que me disseram:  
'Vamos à casa do Senhor!'
E agora nossos pés já se detêm,
Jerusalém, em tuas portas.

Jerusalém, cidade bem edificada
num conjunto harmonioso;
para l√° sobem as tribos de Israel,
as tribos do Senhor.

Para louvar, segundo a lei de Israel,
o nome do Senhor.
A sede da justiça lá está
e o trono de Davi.

Rogai que viva em paz Jerusalém,
e em segurança os que te amam!
Que a paz habite dentro de teus muros,
tranquilidade em teus pal√°cios!

Por amor a meus irm√£os e meus amigos,
peço: 'A paz esteja em ti!'
Pelo amor que tenho à casa do Senhor,
eu te desejo todo bem!

Glória ao Pai...

Leitura                                                                                                                 Rm 9,4-5
Eles s√£o israelitas. A eles pertencem a filia√ß√£o adotiva, a gl√≥ria, as alian√ßas, as leis, o culto, as promessas e tamb√©m os patriarcas. Deles √© que descende, quanto √† sua humanidade, Cristo, o qual est√° acima de todos ‚Äď Deus bendito para sempre! ‚Äď Am√©m!

Maria, alegra-te, ó cheia de graça; o Senhor é contigo!
√Čs bendita entre todas as mulheres, e bendito √© o fruto do teu ventre.

MAGNIFICAT
Celebremos o natal glorioso de Maria!
Deus olhou sua humildade, quando o anjo lhe falou,
e ela concebeu o Redentor da humanidade.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gera√ß√Ķes h√£o de chamar-me de bendita.¬†

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome! 
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam; 

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

Glória ao Pai...

Preces
Proclamemos a grandeza de Deus Pai todo-poderoso: Ele quis que Maria, M√£e de seu Filho, fosse celebrada por todas as gera√ß√Ķes. Pe√ßamos humildemente:

R. Cheia de graça, intercedei por nós!

Deus, autor de tantas maravilhas, que fizestes a Imaculada Virgem Maria participar em corpo e alma da glória celeste de Cristo,
‚Äď conduzi para a mesma gl√≥ria os cora√ß√Ķes de vossos filhos e filhas. R.

V√≥s, que nos destes Maria por M√£e, concedei, por sua intercess√£o, sa√ļde aos doentes, consolo aos tristes, perd√£o aos pecadores,
‚Äď e a todos a salva√ß√£o e a paz. R.

Vós, que fizestes de Maria a cheia de graça,
‚Äď concedei a todos a abund√Ęncia da vossa gra√ßa. R.

Fazei, Senhor, que a vossa Igreja seja, na caridade, um só coração e uma só alma,
‚Äď e que todos os fi√©is perseverem un√Ęnimes na ora√ß√£o com Maria, M√£e de Jesus. R.

(Inten√ß√Ķes livres)

Vós, que coroastes Maria como rainha do céu,
‚Äď fazei que nossos irm√£os e irm√£s falecidos se alegrem eternamente em vosso reino, na companhia dos santos. R.

Pai nosso...

ANT√ćFONA MARIANA
Sub tuum praesidium
Sub tuum praesidium conf√ļgimus
sancta Dei Genetrix.
nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus,
sed a periculis cunctis libera nos semper,
Virgo gloriosa et benedicta

(Tradução:)
À vossa proteção recorremos,
Santa M√£e de Deus;
n√£o desprezeis as nossas s√ļplicas em nossas necessidades;
mas livrai-nos sempre de todos os perigos,
ó, Virgem gloriosa e bendita.

Meu amado me diz: Levanta-te, amada minha, formosa minha, e vem!

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém.

Hino

√ď flor√£o da humana ra√ßa,

virginal M√£e de Jesus,

tu, aos filhos da desgraça,

vens fazer filhos da luz.

J√° trazendo a realeza

ao nascer do rei Davi,

vês crescer tua nobreza,

quando Deus nasce de ti.

Tua luz venceu a treva

do pecado original,

transformando os filhos de Eva

em nação sacerdotal.

Tua prece nos consiga

de Deus Pai pleno perd√£o,

e, calcada a culpa antiga,

a divina comunh√£o.

Ao Deus trino, Virgem pura,

erga o homem seu louvor;

restauraste a criatura,

dando à luz o Criador.

Salmo                                 ..............................      ..........121(122)

Que alegria, quando ouvi que me disseram:

'Vamos à casa do Senhor!'

E agora nossos pés já se detêm,

Jerusalém, em tuas portas.

Jerusalém, cidade bem edificada

num conjunto harmonioso;

para l√° sobem as tribos de Israel,

as tribos do Senhor.

Para louvar, segundo a lei de Israel,

o nome do Senhor.

A sede da justiça lá está

e o trono de Davi.

Rogai que viva em paz Jerusalém,

e em segurança os que te amam!

Que a paz habite dentro de teus muros,

tranquilidade em teus pal√°cios!

Por amor a meus irm√£os e meus amigos,

peço: 'A paz esteja em ti!'

Pelo amor que tenho à casa do Senhor,

eu te desejo todo bem!

Glória ao Pai...

Leitura                                                                                                                 Rm 9,4-5

Eles s√£o israelitas. A eles pertencem a filia√ß√£o adotiva, a gl√≥ria, as alian√ßas, as leis, o culto, as promessas e tamb√©m os patriarcas. Deles √© que descende, quanto √† sua humanidade, Cristo, o qual est√° acima de todos ‚Äď Deus bendito para sempre! ‚Äď Am√©m!

Maria, alegra-te, ó cheia de graça; o Senhor é contigo!

√Čs bendita entre todas as mulheres, e bendito √© o fruto do teu ventre.

MAGNIFICAT

Celebremos o natal glorioso de Maria!

Deus olhou sua humildade, quando o anjo lhe falou,

e ela concebeu o Redentor da humanidade.

A minha alma engrandece ao Senhor

e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;

pois ele viu a pequenez de sua serva,

desde agora as gera√ß√Ķes h√£o de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas

e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,

chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,

dispersou os orgulhosos;

derrubou os poderosos de seus tronos

e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,

e despediu, sem nada, os ricos.

Acolheu Israel, seu servidor,

fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,

em favor de Abra√£o e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces

Proclamemos a grandeza de Deus Pai todo-poderoso: Ele quis que Maria, M√£e de seu Filho, fosse celebrada por todas as gera√ß√Ķes. Pe√ßamos humildemente:

  1. Cheia de graça, intercedei por nós!

Deus, autor de tantas maravilhas, que fizestes a Imaculada Virgem Maria participar em corpo e alma da glória celeste de Cristo,

‚Äď conduzi para a mesma gl√≥ria os cora√ß√Ķes de vossos filhos e filhas. R.

V√≥s, que nos destes Maria por M√£e, concedei, por sua intercess√£o, sa√ļde aos doentes, consolo aos tristes, perd√£o aos pecadores,

‚Äď e a todos a salva√ß√£o e a paz. R.

Vós, que fizestes de Maria a cheia de graça,

‚Äď concedei a todos a abund√Ęncia da vossa gra√ßa. R.

Fazei, Senhor, que a vossa Igreja seja, na caridade, um só coração e uma só alma,

‚Äď e que todos os fi√©is perseverem un√Ęnimes na ora√ß√£o com Maria, M√£e de Jesus. R.

(Inten√ß√Ķes livres)

Vós, que coroastes Maria como rainha do céu,

‚Äď fazei que nossos irm√£os e irm√£s falecidos se alegrem eternamente em vosso reino, na companhia dos santos. R.

Pai nosso...

ANT√ćFONA MARIANA

Sub tuum praesidium

Sub tuum praesidium conf√ļgimus

sancta Dei Genetrix.

nostras deprecationes ne despicias in necessitatibus,

sed a periculis cunctis libera nos semper,

Virgo gloriosa et benedicta

(Tradução:)

À vossa proteção recorremos,

Santa M√£e de Deus;

n√£o desprezeis as nossas s√ļplicas em nossas necessidades;

mas livrai-nos sempre de todos os perigos,

ó, Virgem gloriosa e bendita.

Evangelho do dia

Genealogia de Jesus Cristo, Filho de David, Filho de Abra√£o:
Abra√£o gerou Isaac; Isaac gerou Jacob; Jacob gerou Jud√° e seus irm√£os.
Judá gerou, de Tamar, Farés e Zara; Farés gerou Esrom; Esrom gerou Arão;
Ar√£o gerou Aminadab; Aminadab gerou Naasson; Naasson gerou Salmon;
Salmon gerou, de Raab, Booz; Booz gerou, de Rute, Obed; Obed gerou Jessé;
Jessé gerou o rei David. David, da mulher de Urias, gerou Salomão;
Salom√£o gerou Robo√£o; Robo√£o gerou Abias; Abias gerou Asa;
Asa gerou Josafat; Josafat gerou Jor√£o; Jor√£o gerou Ozias;
Ozias gerou Joat√£o; Joat√£o gerou Acaz; Acaz gerou Ezequias;
Ezequias gerou Manassés; Manassés gerou Amon; Amon gerou Josias;
Josias gerou Jeconias e seus irmãos, ao tempo do desterro de Babilónia.
Depois do desterro de Babilónia, Jeconias gerou Salatiel; Salatiel gerou Zorobabel;
Zorobabel gerou Abiud; Abiud gerou Eliacim; Eliacim gerou Azor;
Azor gerou Sadoc; Sadoc gerou Aquim; Aquim gerou Eliud;
Eliud gerou Eleazar; Eleazar gerou Mat√£; Mat√£ gerou Jacob;
Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo.
O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo: Maria, sua Mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum, encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo.
Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo.
Tinha ele assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor, que lhe disse: ¬ęJos√©, filho de David, n√£o temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou √© fruto do Esp√≠rito Santo.
Ela dar√° √† luz um Filho, e tu p√īr-Lhe-√°s o nome de Jesus, porque Ele salvar√° o povo dos seus pecados¬Ľ.
Tudo isto aconteceu para se cumprir o que o Senhor anunciara por meio do Profeta, que diz:
¬ęA Virgem conceber√° e dar√° √† luz um Filho, que ser√° chamado ‚ÄėEmanuel‚Äô, que quer dizer ‚ÄėDeus connosco‚Äô¬Ľ.

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement