Aleteia
La fête du jour

Sexta-feira, 22 de setembro
Santo Inácio de Santhiá

Sacerdote capuchinho (†1770)

Nasceu em Santhiá, no norte da Itália, e era o quarto filho da família Belvisotti. Foi batizado como Lorenço Maurício Belvisotti. Ficou órfão de pai aos sete anos.

Entrou no seminário diocesano de Vercelli para estudar filosofia e teologia e no outono de 1710; foi ordenado sacerdote aos 24 anos de idade. Tornou-se capelão da nobre família Avogadro. Foi chamado também para ser diretor do Colégio de Santhiá e posteriormente pároco da paróquia de Casanova Elvo.

Depois de seis anos de frutuoso ministério sacerdotal, entrou na ordem dos Frades Capuchinhos, emitindo os votos religiosos a 24 de maio de 1717.

Em 1727 foi enviado para Turim-Monte, com a tarefa de prefeito de sacristia e de confessor dos seculares, tarefa que desempenhou também nos últimos 24 anos de sua vida. Neste ministério demonstrou a sua paternidade e a ciência aprendida não só nos livros, mas também diante do crucifixo. Dedicava os seus dias inteiramente ao serviço dos penitentes e agradecendo e louvando a Deus.

A sua fama de bom diretor espiritual, difundiu-se depressa o que atraiu ao Monte religiosos, sacerdotes e fiéis desejosos de uma verdadeira orientação no caminho da santidade, e com eles também pecadores impassíveis, jovens libertinos em busca do perdão. A todos recebia com a maior caridade, porque considerava os pecadores os filhos mais doentes e, por isso, os mais necessitados de misericórdia. Chamavam-lhe “o padre dos pecadores e dos desesperados”.

Em setembro de 1731 foi destinado para ser mestre dos noviços e vigário do convento de Mondoví, cargos que começou com a fama de guia douto e sábio.

A sua fama difundiu-se também na pequena cidade, a tal ponto que os jovens que frequentavam as escolas superiores da cidade escolhiam como meta do passeio o convento, dizendo: “Vamos visitar aquele santo!”. Durante catorze anos, Inácio foi mestre do noviciado de Mondoví, com uma única intenção: fazer com que os jovens confiados aos seus cuidados ficassem apaixonados por Deus e fossem sinceramente obedientes. Baseou o seu método de educação pedagógica em dois pilares: amar como Deus e preceder com o exemplo. Sua cela estava aberta em qualquer momento do dia e da noite para os noviços que precisassem de conselhos, de um encontro para superar uma prova ou esclarecer uma dúvida. Seu serviço de mestre dos noviços teria ainda se prolongado, se ele não tivesse sido atingido por uma doença nos olhos, que lhe causou quase a cegueira total, e que o obrigou a regressar a Turim, nos finais de 1744, para receber um tratamento mais adequado.

Depois de tantas provas de amor e obediência, Padre Inácio faleceu com fama de santidade no dia 21 de setembro de 1770, em extrema tranquilidade. Seis anos mais tarde, por vontade do clero, dos irmãos de hábito, do povo e da casa de Saboia, foi dado início na cúria arquiepiscopal de Turim, ao processo sobre a fama de santidade, de vida, virtudes, e milagres do servo de Deus.

Em 1782 a causa foi introduzida junto da Santa Sé que ordenou os processos apostólicos. Em 19 de março de 1827, o papa Leão XII declarou solenemente a heroicidade das virtudes do Padre Inácio. Finalmente, depois da aprovação de dois milagres, em 17 de abril de 1966, o papa Paulo VI procedeu à sua solene Beatificação e em 19 de maio de 2002, foi finalmente canonizado por São João Paulo II.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

Tu, Senhor, estás no meio de nós,
e teu nome será invocado sobre nós
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Deus, que criastes a luz,
sois luz do céu radiosa.
O firmamento estendestes
com vossa mão poderosa.

A aurora esconde as estrelas,
e o seu clarão vos bendiz.
A brisa espalha o orvalho,
a terra acorda feliz.

A noite escura se afasta,
as trevas fogem da luz.
A estrela d'alva fulgura,
sinal de Cristo Jesus.

Ó Deus, sois dia dos dias,
sois luz da luz, na Unidade,
num só poder sobre os seres,
numa só glória, Trindade.

Perante vós, Salvador,
a nossa fronte inclinamos.
A vós, ao Pai e ao Espírito
louvor eterno cantamos.

Cântico ...............................................................................Tb 13,8-11.13-14ab.15-16ab
Mostrou-me a cidade santa, Jerusalém. brilhando com a glória de Deus (Ap 21,10-11).

Dai graças ao Senhor, vós todos, seus eleitos;
celebrai dias de festa e rendei-lhe homenagem.

Jerusalém, cidade santa, o Senhor te castigou,
por teu mau procedimento, pelo mal que praticaste.

Dá louvor ao teu Senhor, pelas tuas boas obras,
para que ele, novamente, arme, em ti, a sua tenda.

Reúna em ti os deportados, alegrando-os, sem fim!
ame em ti todo infeliz pelos séculos afora!

Resplenderás, qual luz brilhante, até os extremos desta terra;
virão a ti nações de longe, dos lugares mais distantes,
invocando o santo nome, trazendo dons ao Rei do céu.

Em ti se alegrarão as gerações das gerações
e o nome da Eleita durará por todo o sempre.

Então, te alegrarás pelos filhos dos teus justos,
todos unidos, bendizendo ao Senhor, o Rei eterno.

Haverão de ser ditosos todos quantos te amarem,
encontrando em tua paz sua grande alegria.

Ó minh'alma, vem, bendize ao Senhor, o grande Rei,
pois será reconstruída sua casa em Sião,
que para sempre há de ficar pelos séculos, sem fim.

Glória ao Pai...

Leitura breve Gl 2,19b-20
Com Cristo, eu fui pregado na cruz. Eu vivo, mas não eu, é Cristo que vive em mim. Esta minha vida presente, na carne, eu a vivo na fé, crendo no Filho de Deus, que me amou e por mim se entregou.

Lanço um grito ao Senhor, Deus Altíssimo, este Deus que me dá todo bem.
Que me envie do céu sua ajuda

BENEDICTUS
Pelo amor do coração de nosso Deus, o Sol nascente nos veio visitar.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Cheios de confiança em Deus, que ama e protege aqueles que redimiu por seu Filho Jesus Cristo, façamos nossa oração; e digamos:

R. Confirmai, Senhor, o que em nós realizastes!

Deus de misericórdia, dirigi nossos passos nos caminhos da santidade,
para pensarmos somente o que é verdadeiro, justo e digno de ser amado. R.

Por amor do vosso nome, não nos abandoneis para sempre,
mas lembrai-vos, Senhor, da vossa aliança. R.

De coração contrito e humilde, sejamos acolhidos por vós,
pois não serão confundidos aqueles que em vós esperam. R.

Vós, que, em Cristo, nos chamastes para uma missão profética,
dai-nos a graça de proclamarmos sem temor as maravilhas do vosso poder. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Derramai, Senhor, sobre o povo suplicante a abundância da vossa graça, para que, seguindo os vossos mandamentos, receba estímulo e ajuda na vida presente e felicidade sem fim na pátria futura. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação

Não quero a morte do pecador, mas que se converta e viva.
Percorrei o caminho daquelas mulheres que seguiam Jesus, na boa e na má sorte. A mulher dispõe deste grande tesouro de poder oferecer a vida, de poder dar ternura, de poder infundir paz e alegria. Para vós existe um único modelo: Maria, a mulher da fidelidade, aquela que não entendia o que acontecia, entretanto, obedecia. Aquela que, quando soube do que a sua prima precisava, foi depressa ter com ela; a Virgem da Prontidão! Aquela que fugiu como refugiada para um país estrangeiro a fim de salvar a vida do seu Filho. Aquela que ajudou o seu Filho a crescer, que o acompanhou e, quando o seu Filho começou a pregar, seguiu-o. Aquela que padeceu tudo o que acontecia com o Menino, com o Jovem. Aquela que permaneceu ao lado do seu Filho, e lhe indicava os problemas que surgiam: “Olha, não têm vinho!”. Aquela que, no momento da Cruz, estava com Ele.
A mulher tem uma capacidade de dar vida e ternura que nós, homens, não temos. Vós sois mulheres de Igreja. Da Igreja, ou “do” Igreja? Não, não é “o” Igreja, é “a” Igreja. A Igreja é feminina, é como Maria. Este é o vosso lugar. Ser Igreja, formar a Igreja, permanecer ao lado de Jesus, oferecer ternura, acompanhar e deixar crescer.

Papa Francisco
Mensagem dirigida aos jovens argentinos por ocasião da Páscoa
Buenos Aires, 26 de Abril de 2014

Oração da tarde

Lançamos sobre o Senhor nossos cuidados,
porque ele há de ser nosso sustento.
Não buscamos agradar aos homens, mas a Deus.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Onze horas havendo passado,
chega a tarde e o dia termina;
entoemos louvores a Cristo,
que é imagem da glória divina.

Já passaram as lutas do dia,
o trabalho por vós contratado;
dai aos bons operários da vinha
dons de glória no Reino esperado.

Ó Senhor, aos que agora chamais
e que ireis premiar no futuro,
por salário, dai força na luta,
e, na paz, um repouso seguro.

Glória a vós, Cristo, Rei compassivo,
glória ao Pai e ao Espírito também.
Unidade e Trindade indivisa,
Deus e Rei pelos séculos. Amém.
Salmo......................................................................... 144(145)
Justo és tu, Senhor, aquele que é e que era, o Santo (Ap 16,5).

Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu Rei,
e bendizer o vosso nome pelos séculos.
Todos os dias haverei de bendizer-vos,
hei de louvar o vosso nome para sempre.

Grande é o Senhor e muito digno de louvores,
e ninguém pode medir sua grandeza.
Uma idade conta à outra vossas obras
e publica os vossos feitos poderosos;

proclamam todos o esplendor de vossa glória
e divulgam vossas obras portentosas!
Narram todos vossas obras poderosas,
e de vossa imensidade todos falam.

Eles recordam vosso amor tão grandioso
e exaltam, ó Senhor, vossa justiça.
Misericórdia e piedade é o Senhor,
ele é amor, é paciência, é compaixão.

O Senhor é muito bom para com todos,
sua ternura abraça toda criatura.
Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem,
e os vossos santos com louvores vos bendigam!

Narrem a glória e o esplendor do vosso reino
e saibam proclamar vosso poder!
Para espalhar vossos prodígios entre os homens
e o fulgor de vosso reino esplendoroso.

O vosso reino é um reino para sempre,
vosso poder, de geração em geração.
O Senhor é amor fiel em sua palavra,
é santidade em toda obra que ele faz.

Ele sustenta todo aquele que vacila
e levanta todo aquele que tombou.
Todos os olhos, ó Senhor, em vós esperam
e vós lhes dais no tempo certo o alimento;

vós abris a vossa mão prodigamente
e saciais todo ser vivo com fartura.
É justo o Senhor em seus caminhos,
é santo em toda obra que ele faz.

Ele está perto da pessoa que o invoca,
de todo aquele que o invoca lealmente.
O Senhor cumpre os desejos dos que o temem,
ele escuta os seus clamores e os salva.

O Senhor guarda todo aquele que o ama,
mas dispersa e extermina os que são ímpios.
Que a minha boca cante a glória do Senhor
e que bendiga todo ser seu nome santo
desde agora, para sempre e pelos séculos.

Glória ao Pai...

Leitura breve Rm 8,1-2
Não há mais condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus. Pois a lei do Espírito que dá a vida em Jesus Cristo te libertou da lei do pecado e da morte.

O Cristo morreu pelos nossos pecados e conduziu-nos a Deus.
Foi morto na carne, mas vive no Espírito.

MAGNIFICAT
Ó Senhor, sede fiel ao vosso amor, como havíeis prometido a nossos pais!

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Aclamemos a Cristo Jesus, esperança daqueles que conhecem o seu nome; e peçamos confiantes:

R. Senhor, tende piedade de nós!

Cristo Jesus, vós conheceis a fragilidade da nossa natureza, sempre inclinada para o pecado;
fortalecei-a com a vossa graça. R.

Tende compaixão da nossa fraqueza humana, sempre propensa ao mal;
por vossa misericórdia, dai-nos o vosso perdão. R.

Vós aceitais, benigno, a penitência para reparar a ofensa;
fazei que tiremos lições das consequências de nossos pecados. R.

Vós, que perdoastes a pecadora arrependida e carregastes nos ombros a ovelha desgarrada,
não nos recuseis a vossa misericórdia. R.

Vós, que, pelo sacrifício da cruz, abristes as portas do céu,
acolhei na eternidade todos aqueles que nesta vida esperaram em vós. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho

Evangelho segundo S. Lucas 8,1-3.
Naquele tempo, Jesus ia caminhando por cidades e aldeias, a pregar e a anunciar a boa nova do reino de Deus. Acompanhavam-n’O os Doze,
bem como algumas mulheres que tinham sido curadas de espíritos malignos e de enfermidades. Eram Maria, chamada Madalena, de quem tinham saído sete demónios,
Joana, mulher de Cusa, administrador de Herodes, Susana e muitas outras, que serviam Jesus e os discípulos com os seus bens.

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement