Aleteia
La fête du jour

Sexta-feira, 18 de agosto
Santa Helena

Rainha (aproximadamente † 330)

No início de uma época nova para o cristianismo, a figura de Helena foi de importância ímpar. Nascida provavelmente por volta do ano 248, na Bitínia, uma província do Império romano, ela pertencia a uma família simples. Segundo algumas fontes, Helena chegou a trabalhar num estábulo onde acabou por conhecer Constâncio Cloro, um tribuno militar, que a desejou ter como esposa, apesar de seu grau social inferior. No dia 27 de fevereiro de 274, nasceu seu filho, o futuro imperador Constantino. Entrementes, Constâncio, em virtude de suas habilidades militares, foi nomeado como uma espécie de vice imperador para a parte ocidental do Império. Por causa do cargo, e para consolidar alianças políticas, Constâncio acabou repudiando Helena para se unir em matrimônio com outra mulher. Apesar de Constâncio ter trabalhado para eleger outro sucessor em seu lugar, por ocasião de sua morte o jogo vira: o filho que tivera com Helena, Constantino, acabou sendo nomeado pelas tropas como “Augusto”, começando assim sua ascensão ao poder. Helena, que até então, por causa do repúdio de Constâncio havia se colocado humildemente à parte, com a ascensão do filho é chamada para a vida no palácio. Apesar de desfrutar de vários privilégios, enquanto mãe do imperador, Santa Helena levou uma vida de oração, dando mostras de grande piedade e caridade, socorrendo os pobres com roupas e dinheiro e libertando a muitos prisioneiros injustamente condenados. Com boa probabilidade, sua influência sobre Constantino permitiu a liberdade de culto ao cristianismo. A tradição narra que Santa Helena, movida por grande piedade cristã foi em peregrinação à Terra Santa. Tendo chegado a Jerusalém, começou a procurar pelos lugares sagrados cristãos que, com a destruição da cidade feita pelos romanos há cerca de um século antes, haviam quase desaparecido sob a construção de templos pagãos. Santa Helena tendo subido no lugar do Gólgota, acabou por descobrir a relíquia da cruz de Cristo. Além desse fato, Santa Helena não mediu esforços para reconstruir monumentos que marcariam por muito tempo os lugares santos cristãos em Jerusalém. Depois de uma longa vida constelada de exemplos de piedade e virtudes cristãs, Santa Helena morreu serenamente com cerca de 80 anos de idade e assistida pelo seu filho, o imperador Constantino.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

Demos graças ao Senhor, porque eterno é seu amor!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Sois do céu a glória eterna,
esperança dos mortais,
sois da casta Virgem prole,
Unigênito do Pai.

Dai àqueles que despertam
seja a mente vigilante.
Em louvor e ação de graças,
nossa voz seja vibrante.

Nasce o astro luminoso,
nova luz ele anuncia.
Foge a noite, foi a treva,
vossa luz nos alumia.

Nossa mente torne clara,
faça a noite cintilar,
purifique nosso íntimo
até a vida terminar.

Cresça a nossa fé primeira
dentro em nosso interior;
a esperança acompanhe,
e maior seja o amor.

A vós, Cristo, rei piedoso,
e a vós, Pai, glória também
com o Espírito Paráclito
pelos séculos. Amém.
Cântico ............................. Jr 14,17-21

O Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho! (Mc 1,15).

Os meus olhos, noite e dia,
chorem lágrimas sem fim;
pois sofreu um golpe horrível,
foi ferida gravemente
a virgem filha do meu povo!

Se eu saio para os campos,
eis os mortos à espada;
se eu entro na cidade,
eis as vítimas da fome!

Até o profeta e o sacerdote
perambulam pela terra
sem saber o que se passa.
Rejeitastes, por acaso,
a Judá inteiramente?

Por acaso a vossa alma
desgostou-se de Sião?
Por que feristes vosso povo
de um mal que não tem cura?

Esperávamos a paz,
e não chegou nada de bom;
e o tempo de reerguer-nos,
mas só vemos o terror!

Conhecemos nossas culpas
e as de nossos ancestrais,
pois pecamos contra vós!
Por amor de vosso nome,
ó Senhor, não nos deixeis!

Não deixeis que se profane
vosso trono glorioso!
Recordai-vos, ó Senhor!
Não rompais vossa Aliança!

Glória ao Pai...

Leitura breve 2Cor 12,9b-10
De bom grado, eu me gloriarei das minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim. Eis por que eu me comprazo nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições e nas angústias sofridas por amor a Cristo. Pois, quando eu me sinto fraco, é então que sou forte.

Fazei-me cedo sentir, ó Senhor, vosso amor!
Indicai-me o caminho, que eu devo seguir.

BENEDICTUS
O Senhor visitou o seu povo e o libertou.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Levantemos o nosso olhar para Cristo que nasceu, morreu e ressuscitou pelo seu povo; e peçamos com fé:

R. Salvai, Senhor, os que remistes com o vosso sangue!

Nós vos bendizemos, Jesus, Salvador da humanidade, que não hesitastes em sofrer por nós a paixão e a cruz,
– e nos remistes com o vosso sangue precioso. R.

Vós, que prometestes dar aos vossos fiéis a água que jorra para a vida eterna,
– derramai o vosso Espírito sobre todos os homens e mulheres. R.

Vós, que enviastes vossos discípulos para pregar o evangelho a todas as nações,
– ajudai-nos a proclamar pela terra inteira a vitória da vossa cruz. R.

Aos doentes e infelizes que associastes aos sofrimentos da vossa paixão,
– concedei-lhes força e paciência. R.

Pai nosso ...

Oração
Pai todo-poderoso, derramai vossa graça em nossos corações para que, caminhando à luz dos vossos preceitos, sigamos sempre a vós, como Pastor e Guia. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação

São uma só carne...
O homem e a mulher, que, pela aliança conjugal “já não são dois, mas uma só carne” (Mt. 19, 6), prestam-se recíproca ajuda e serviço com a íntima união das suas pessoas e atividades, tomam consciência da própria unidade e cada vez mais a realizam. Esta união íntima, já que é o dom recíproco de duas pessoas, exige, do mesmo modo que o bem dos filhos, a inteira fidelidade dos cônjuges e a indissolubilidade da sua união. Cristo Senhor abençoou copiosamente este amor de múltiplos aspectos, nascido da fonte divina da caridade e constituído à imagem da sua própria união com a Igreja. E assim como outrora Deus veio ao encontro do seu povo com uma aliança de amor e fidelidade, assim agora o Salvador dos homens e esposo da Igreja vem ao encontro dos esposos cristãos com o sacramento do matrimônio. E permanece com eles, para que, assim como Ele amou a Igreja e se entregou por ela, de igual modo os cônjuges, dando-se um ao outro, se amem com perpétua fidelidade. O autêntico amor conjugal é assumido no amor divino, e dirigido e enriquecido pela força redentora de Cristo e pela ação salvadora da Igreja, para que, assim, os esposos caminhem eficazmente para Deus e sejam ajudados e fortalecidos na sua missão sublime de pai e mãe. Por este motivo, os esposos cristãos são fortalecidos e como que consagrados em ordem aos deveres do seu estado por meio de um sacramento especial; cumprindo, graças à força deste, a própria missão conjugal e familiar, penetrados do espírito de Cristo que impregna toda a sua vida de fé, esperança e caridade, avançam sempre mais na própria perfeição e mútua santificação e cooperam assim juntos para a glorificação de Deus.
Constituição Pastoral Gaudium et Spes.
Concílio Vaticano II (7.12.1965).

Oração da tarde

Bendizei o Senhor, todo o universo!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Deus, escultor do homem,
que a tudo, só, criastes,
e que do pó da terra
os animais formastes.

Sob o comando do homem
a todos colocastes,
para que a vós servissem
servindo a quem criastes.

Afastai, pois, os homens,
de uma fatal cilada;
que o Criador não perca
a criatura amada.

Dai-nos no céu o prêmio,
dando na terra a graça,
e assim chegar possamos
à paz que nunca passa.

A vós, Deus uno e trino,
em nosso amor cantamos;
nas criaturas todas
somente a vós buscamos.
Salmo ............................... 134(135)

Povo que ele conquistou, proclamai as obras admiráveis daquele que vos chamou das trevas para a sua luz maravilhosa (cf. 1Pd 2,9).

Ó Senhor, vosso nome é eterno;
para sempre é a vossa lembrança!
O Senhor faz justiça a seu povo
e é bondoso com aqueles que o servem.

São os deuses pagãos ouro e prata,
todos eles são obras humanas.
Têm boca e não podem falar,
têm olhos e não podem ver;

tendo ouvidos, não podem ouvir,
nem existe respiro em sua boca.
Como eles serão seus autores,
que os fabricam e neles confiam!

Israel, bendizei o Senhor;
sacerdotes, louvai o Senhor;
levitas, cantai ao Senhor;
fiéis, bendizei o Senhor!
Bendito o Senhor de Sião,
que habita em Jerusalém!

Glória ao Pai...

Leitura Tg 1,2-4
Meus irmãos, quando deveis passar por diversas provações, considerai isso motivo de grande alegria, por saberdes que a comprovação da fé produz em vós a perseverança. Mas é preciso que a perseverança gere uma obra de perfeição, para que vos torneis perfeitos e íntegros, sem falta ou deficiência alguma.

Jesus Cristo nos amou e em seu sangue nos lavou.
Fez-nos reis e sacerdotes para Deus, o nosso Pai.

MAGNIFICAT
O Senhor nos acolheu a nós,
seus servidores, fiel ao seu amor.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Invoquemos o Senhor Jesus, a quem o Pai entregou à morte pelos nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação; e digamos humildemente:

R. Senhor, tende piedade do vosso povo!

Ouvi, Senhor, as nossas súplicas e perdoai os pecados dos que se reconhecem culpados perante vós,
– e, em vossa bondade, dai-nos a reconciliação e a paz. R.

Vós, que dissestes por meio do apóstolo Paulo: 'Onde o pecado foi grande, muito maior foi a graça',
– perdoai generosamente os nossos numerosos pecados. R.

Senhor, tende piedade do vosso povo! Muito pecamos, Senhor, mas confiamos na vossa infinita misericórdia;
– convertei-nos inteiramente ao vosso amor. R.

Salvai, Senhor, o vosso povo de seus pecados,
– e sede bondoso para conosco. R.

(Intenções livres)

Vós, que abristes as portas do paraíso para o ladrão arrependido que vos reconheceu como Salvador,
– não as fecheis para os nossos irmãos e irmãs que morreram. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho

Evangelho segundo S. Mateus 19,3-12.
Naquele tempo, aproximaram-se de Jesus alguns fariseus para O porem à prova e disseram-Lhe: «É permitido ao homem repudiar a sua esposa por qualquer motivo?».
Jesus respondeu: «Não lestes que o Criador, no princípio, os fez homem e mulher
e disse: ‘Por isso o homem deixará pai e mãe para se unir à sua esposa e serão os dois uma só carne?’.
Deste modo, já não são dois, mas uma só carne. Portanto, não separe o homem o que Deus uniu».
Eles objetaram: «Porque ordenou então Moisés que se desse um certificado de divórcio para se repudiar a mulher?».
Jesus respondeu-lhes: «Foi por causa da dureza do vosso coração que Moisés vos permitiu repudiar as vossas mulheres. Mas no princípio não foi assim.
E Eu digo-vos: Quem repudiar a sua mulher, a não ser em caso de união ilegítima, e casar com outra, comete adultério».
Disseram-Lhe os discípulos: Se é esta a situação do homem em relação à mulher, não é conveniente casar-se».
Jesus respondeu-lhes: «Nem todos compreendem esta linguagem, senão aquele a quem é concedido.
Na verdade, há eunucos que nasceram assim do seio materno, outros que foram feitos pelos homens e outros que se tornaram eunucos por causa do reino dos Céus. Quem puder compreender, compreenda».

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement