Aleteia
La fête du jour

Segunda-feira, 14 de agosto
S√£o Maximiliano Maria Kolbe

Presbítero, franciscano e mártir († 1941)

No dia 8 de janeiro de 1894, numa cidadezinha da Pol√īnia (ZduŇĄska Wola) nascia o pequeno Raimundo Kolbe. Seus pais eram cat√≥licos fervorosos e logo batizaram-no, na igreja paroquial de Nossa Senhora da Assun√ß√£o. Dos tr√™s filhos que o casal teve, apenas tr√™s sobreviveram. Eram tempos dif√≠ceis para a pequena fam√≠lia Kolbe: pela falta de dinheiro, apenas o filho mais velho p√īde estudar. O pequeno Raimundo tentou aprender algo com um sacerdote e depois com o farmac√™utico da aldeia. Ainda crian√ßa, sentiu o chamado √† voca√ß√£o religiosa: ele teria tido uma vis√£o da Virgem Maria que estendia em sua dire√ß√£o duas coroas de flores, que ele tomou nas m√£os: uma era de l√≠rios e a outra de rosas vermelhas, respectivamente, s√≠mbolos da virgindade e do mart√≠rio. Logo entra nos Frades Menores Conventuais e, em 1910, no noviciado, assume o nove de Frei Maximiliano. Quatro anos mais tarde, por ocasi√£o de seus votos solenes, adicionou ao seu nome, o de Maria, passando a se chamar Frei Maximiliano Maria. Em 1917, junto com outros companheiros, fundou a ‚ÄúMil√≠cia da Imaculada‚ÄĚ, um grupo que tinha como objetivo ‚Äúrenovar todas as coisas em Cristo atrav√©s da Imaculada‚ÄĚ. Em 1918, Frei Maximiliano √© ordenado presb√≠tero e sua prima missa ocorre na igreja de Santo Andr√© delle Fratte, no altar em que, anos antes, (1842) Alphonso de Ratisbonne, fundador da fam√≠lia religiosa de Nossa Senhora de Sion, havia tido uma vis√£o da Virgem Maria. Por causa de sua sa√ļde delicada ‚Äď havia contra√≠do tuberculose ‚Äď, ele se dedicar√° inteiramente √† obra da ‚ÄúMil√≠cia da Imaculada‚ÄĚ e √† evangeliza√ß√£o, chegando mesmo a ir at√© o Jap√£o. Retornando √† Europa, a Segunda Guerra Mundial estava √†s portas. Com a invas√£o da Pol√īnia pelas tropas nazistas, Frei Maximiliano seria preso e enviado para o campo de concentra√ß√£o de Auschwitz. Ali chegando, como todos os outros prisioneiros de guerra, recebeu um n√ļmero: 16670. Sofreu diversas humilha√ß√Ķes e sofrimentos, que procurou viver com intenso esp√≠rito crist√£o. Foi transferido para o Bloco 14. Nesse momento um dos prisioneiros havia conseguido escapar. Seguindo as dur√≠ssimas regras do campo de concentra√ß√£o, dez prisioneiros deviam pagar por aquele que havia escapado, sendo enviados para o Bloco 13, para morrer de fome. Diante do desespero de um dos prisioneiros, Padre Maximiliano se oferece para ir morrer em seu lugar. De fato, acompanha os outros nove prisioneiros e, aos poucos, um a um iam morrendo de inani√ß√£o. Depois de 14 dias de sofrimento atroz, ainda restavam quatro prisioneiros vivos, dentre esses tamb√©m Frei Maximiliano. Os guardas decidiram terminar com a vida deles injetando fenol em suas veias. Frei Maximiliano, no dia 14 de agosto de 1941 estendeu seu bra√ßo, e pronunciou suas √ļltimas palavras: ‚ÄúAve Maria‚ÄĚ. No dia 10 de outubro de 1982, S√£o Jo√£o Paulo II o canonizou declarando-o m√°rtir e uma grande ‚Äútestemunha da caridade‚ÄĚ, num dos momentos mais obscuros da humanidade.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

Caminhemos com louvores ao encontro do Senhor.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Clarão da glória do Pai,
ó Luz, que a Luz origina,
sois Luz da Luz, fonte viva,
sois Luz que ao dia ilumina.

Brilhai, ó Sol verdadeiro,
com vosso imenso esplendor,
e dentro em nós derramai
do Santo Espírito o fulgor.

Também ao Pai suplicamos,
ao Pai a glória imortal,
ao Pai da graça potente,
que a nós preserve do mal.

Na luta fortes nos guarde
vencendo o anjo inimigo.
Nas quedas, dê-nos a graça,
de nós afaste o perigo.

As nossas mentes governe
num corpo casto e sadio.
A nossa fé seja ardente,
e não conheça desvio.

O nosso p√£o seja o Cristo,
e a fé nos seja a bebida.
O Santo Espírito bebamos
nas fontes puras da vida.

Alegre passe este dia,
t√£o puro quanto o arrebol.
A fé, qual luz cintilante,
refulja em nós como o sol.

A aurora em si traz o dia.
Vós, como aurora, brilhai:
ó Pai, vós todo no Filho,
e vós, ó Verbo, no Pai.

Salmo .....................................83(84)

Não temos aqui cidade permanente, mas estamos à procura daquela que está para vir (Hb 13,14).

Quão amável, ó Senhor, é vossa casa,
quanto a amo, Senhor Deus do universo!
Minha alma desfalece de saudades
e anseia pelos √°trios do Senhor!
Meu coração e minha carne rejubilam
e exultam de alegria no Deus vivo!

Mesmo o pardal encontra abrigo em vossa casa,
e a andorinha ali prepara o seu ninho,
para nele seus filhotes colocar:
vossos altares, ó Senhor Deus do universo!
vossos altares, ó meu Rei e meu Senhor!

Felizes os que habitam vossa casa;
para sempre haver√£o de vos louvar!
Felizes os que em vós têm sua força,
e se decidem a partir quais peregrinos!

Quando passam pelo vale da aridez,
o transformam numa fonte borbulhante,
pois a chuva o vestirá com suas bênçãos.
Caminhar√£o com um ardor sempre crescente
e h√£o de ver o Deus dos deuses em Si√£o.

Deus do universo, escutai minha oração!
Inclinai, Deus de Jacó, o vosso ouvido!
Olhai, ó Deus, que sois a nossa proteção,
vede a face do eleito, vosso Ungido!

Na verdade, um só dia em vosso templo
vale mais do que milhares fora dele!
Prefiro estar no limiar de vossa casa,
a hospedar-me na mans√£o dos pecadores!

O Senhor Deus é como um sol, é um escudo,
e largamente distribui a graça e a glória.
O Senhor nunca recusa bem algum
àqueles que caminham na justiça.

√ď Senhor, Deus poderoso do universo,
feliz quem p√Ķe em v√≥s sua esperan√ßa!

Glória ao Pai...

Leitura breve Tg 2,12-13
Falai e procedei como pessoas que vão ser julgadas pela Lei da liberdade. Pensai bem: O juízo vai ser sem misericórdia para quem não praticou misericórdia; a misericórdia, porém, triunfa do juízo.

O Senhor seja bendito, bendito seja eternamente!
Só o Senhor faz maravilhas.

BENEDICTUS
O Cristo h√° de ser engrandecido no meu corpo
pela vida ou pela morte.
Para mim viver é Cristo e morrer torna-se lucro.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da m√£o de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abra√£o, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que est√° na remiss√£o de seus pecados;

pela bondade e compaix√£o de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte est√£o sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Roguemos a Deus Pai, que colocou os seres humanos no mundo para trabalharem em harmonia para sua glória; e peçamos com fervor:

R. Senhor, ouvi-nos, para louvor da vossa glória!

Deus, Criador do universo, nós vos bendizemos por tantos bens da criação que nos destes,
‚Äď e pela vida que nos conservastes at√© este dia. R.

Olhai para nós ao iniciarmos o trabalho cotidiano,
‚Äď para que, colaborando na vossa obra, tudo fa√ßamos de acordo com a vossa vontade. R.

Fazei que o nosso trabalho de hoje seja proveitoso para os nossos irm√£os e irm√£s,
‚Äď a fim de que todos juntos construamos uma sociedade mais justa e fraterna aos vossos olhos. R.

A nós e a todos os que neste dia se encontrarem conosco,
‚Äď concedei a vossa alegria e vossa paz. R.

(Inten√ß√Ķes livres)

Pai nosso ...

Oração
√ď Deus, inflamastes S√£o Maximiliano Maria, presb√≠tero e m√°rtir, com amor √† Virgem Imaculada e lhe destes grande zelo pastoral e dedica√ß√£o ao pr√≥ximo. Concedei-nos, por sua intercess√£o, que trabalhemos intensamente pela vossa gl√≥ria no servi√ßo do pr√≥ximo, para que nos tornemos semelhantes ao vosso Filho at√© a morte. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Esp√≠rito Santo.

Meditação

Os filhos s√£o livres...

A cria√ß√£o inteira aguarda a manifesta√ß√£o gloriosa dos filhos de Deus, diz o Ap√≥stolo, j√° que as criaturas est√£o agora submetidas √† desordem, para seu pesar, mas conservam a esperan√ßa, j√° que esperam de Cristo a gra√ßa de sua ajuda para serem libertas da escravid√£o da corrup√ß√£o, para tomar parte na liberdade que, com a gl√≥ria, h√£o de receber os filhos de Deus. Deste modo, quando se manifeste a gl√≥ria dos filhos de Deus, ser√° uma mesma realidade a liberdade das criaturas e a dos filhos de Deus. Mas agora, enquanto essa manifesta√ß√£o n√£o √© ainda um fato, a cria√ß√£o inteira geme √† espera da gl√≥ria de nossa ado√ß√£o e reden√ß√£o. Est√° claro que aqueles que gemem desejando a ado√ß√£o filial o fazem porque possuem as prim√≠cias do Esp√≠rito; e esta ado√ß√£o filial consiste na reden√ß√£o do corpo inteiro, quando aquele que possui as prim√≠cias do Esp√≠rito, como filho adotivo de Deus, veja face a face o bem divino e eterno. Porque agora, a Igreja do Senhor possui j√° a ado√ß√£o filial, posto que o Esp√≠rito clama: ‚ÄúAbb√°!‚ÄĚ (Pai!), como diz a carta aos G√°latas. Mas esta ado√ß√£o ser√° perfeita quando ressuscitem, dotados de incorruptibilidade, de honra e de gl√≥ria, todos os que tenham merecido contemplar a face de Deus; ent√£o a condi√ß√£o humana ter√° alcan√ßado a reden√ß√£o em seu sentido pleno. Por isso o Ap√≥stolo afirma, cheio de confian√ßa, que pela esperan√ßa fomos salvos. A esperan√ßa, com efeito, √© causa de salva√ß√£o, como o √© tamb√©m a f√©, da qual se fala no evangelho: ‚ÄúTua f√© te salvou‚ÄĚ.

Santo Ambrósio
Bispo de Mil√£o e Padre da Igreja (340-397).

Oração da tarde

Entoai ao Senhor um canto novo; Cantai ao Senhor, ó terra inteira!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
√ď Deus, organizando
o líquido elemento,
as √°guas dividistes
firmando o firmamento.

As nuvens fazem sombra,
os rios d√£o frescor;
assim tempera a √°gua,
dos astros o calor.

Em nós vertei a graça,
a √°gua benfazeja;
do fogo das paix√Ķes,
constante, nos proteja.

Que a fé encontre a luz
e espalhe o seu clar√£o;
que nada impeça a alma
no impulso da ascens√£o!

Ao Pai e ao Filho, glória;
ao Espírito também:
louvor, honra e vitória
agora e sempre. Amém.
Salmo ..............................122(123)

Dois cegos... começaram a gritar: Senhor, Filho de Davi, tem piedade de nós! (Mt 20,30).

Eu levanto os meus olhos para vós,
que habitais nos altos céus.
Como os olhos dos escravos est√£o fitos
nas m√£os do seu senhor,

como os olhos das escravas est√£o fitos
nas m√£os de sua senhora,
assim os nossos olhos, no Senhor,
até de nós ter piedade.

Tende piedade, ó Senhor, tende piedade;
já é demais esse desprezo!
Estamos fartos do escárnio dos ricaços
e do desprezo dos soberbos!

Glória ao Pai...

Leitura Tg 4, 11-12
Não faleis mal dos outros, irmãos. Quem fala mal de seu irmão ou o julga, fala mal da Lei e julga-a. Ora, se julgas a Lei, não és cumpridor da Lei, mas sim, seu juiz. Um só é o legislador e juiz: aquele que é capaz de salvar e de fazer perecer. Tu, porém, quem és, para julgares o teu próximo?

Curai-me, Senhor, pois pequei contra vós.
Eu vos digo: Meu Deus, tende pena de mim!

MAGNIFICAT
Eis como conhecemos o amor de Deus por nós:
Ele deu por nós sua vida.
Também nós devemos dar pelos irmãos a nossa vida..

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gera√ß√Ķes h√£o de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abra√£o e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Jesus Cristo quer salvar todos os seres humanos; por isso o invoquemos de coração sincero; e digamos:

R. Atraí, Senhor, todas as coisas para vós!

Bendito sejais, Senhor, porque nos libertastes da escravid√£o do pecado pelo vosso sangue precioso;
‚Äď tornai-nos participantes da gloriosa liberdade dos filhos de Deus. R.

Concedei a vossa graça ao nosso bispo N. e a todos os bispos da Igreja,
‚Äď para que administrem os vossos mist√©rios com alegria e fervor. R.

Fazei que todos aqueles que se dedicam à busca da verdade possam encontrá-la,
‚Äď e, encontrando-a, se esforcem por busc√°-la sempre mais. R.

Assisti, Senhor, os √≥rf√£os, as vi√ļvas e todos os que vivem abandonados,
‚Äď para que, sentindo-vos pr√≥ximo deles, unam-se mais plenamente a v√≥s R.

(Inten√ß√Ķes livres)

Recebei com bondade na Jerusalém celeste os nossos irmãos e irmãs que partiram desta vida,
‚Äď onde v√≥s, com o Pai e o Esp√≠rito Santo, sereis tudo em todos. R.

Pai nosso...

ANT√ćFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho do dia

Evangelho segundo S. Mateus 17,22-27.
Naquele tempo, estando ainda Jesus e os disc√≠pulos na Galileia, disse-lhes Jesus: ¬ęO Filho do homem vai ser entregue nas m√£os dos homens,
que h√£o de mat√°-l‚ÄôO; mas Ele ao terceiro dia ressuscitar√°¬Ľ. Os disc√≠pulos ficaram profundamente consternados.
Quando chegaram a Cafarnaum, os cobradores das didracmas aproximaram-se de Pedro e perguntaram-lhe: ¬ęO vosso Mestre n√£o paga a didracma?¬Ľ.
Pedro respondeu-lhes: ¬ęPaga, sim¬Ľ. Quando chegou a casa, Jesus antecipou-Se e disse-lhe: ¬ęSim√£o, que te parece? De quem recebem os reis da terra impostos ou tributos? Dos filhos ou dos estranhos?¬Ľ.
E como ele respondesse que era dos estranhos, Jesus disse-lhe: ¬ęEnt√£o os filhos est√£o isentos.
Mas para n√£o os escandalizarmos, vai ao mar e deita o anzol. Apanha o primeiro peixe que morder a isca, abre-lhe a boca e encontrar√°s um est√°ter. Pega nele e paga-lhes o imposto por Mim e por ti¬Ľ.

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement