Aleteia
La fête du jour

Sábado, 23 de setembro
São Pio de Pietrelcina

Presbítero Capuchinho (†1968)

Padre Pio nasceu em 25 de maio de 1887 na localidade de Pietrelcina, muito próxima à cidade de Benevento, na Itália. Foi um dos sete filhos de Grazio Forgione e Maria Giuseppa De Nunzio. No dia seguinte ao seu nascimento foi batizado com o nome de Francisco e, mais tarde, seria, de fato, um grande seguidor de São Francisco de Assis.

Desde criança apresentou extrema sensibilidade com os assuntos relacionados a Deus. Desenvolveu tamanha admiração por Nossa Senhora e seu Filho Jesus, que os via constantemente devido a esta familiaridade. Foram Jesus e Maria que apareceram a ele quando recebeu pela primeira vez as dolorosas chagas de Cristo em 1910.

Ainda pequeno tornou-se amigo do seu anjo da Guarda, a quem recorria muitas vezes para auxiliá-lo em seu trajeto pelos caminhos do Evangelho. Conta a história que ele recomendava muitas vezes as pessoas a recorrerem ao seu anjo da guarda, estreitando assim a intimidade dos fiéis para com aquele que viria a ser o primeiro sacerdote da história da igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário.

Aos doze anos, recebeu os sacramentos da primeira comunhão e do crisma.

Com quinze anos de idade entrou no noviciado em Morcone adotando o nome de “Frei Pio”. Após o ano de noviciado, em 1904 formulou os votos simples. Em 1907 professou os votos solenes. Frequentou estudos clássicos e filosofia. Foi ordenado padre em 10 de agosto de 1910 no Duomo de Benevento.

Durante os primeiros anos como frei capuchinho, frequentes problemas de saúde obrigavam Padre Pio a fazer visitas regulares à sua casa para receber cuidados de sua mãe, a quem chamava carinhosamente “Mama Peppa”. Ele sofria de intensas dores no peito e nas costas, frequentes dores de cabeça, febres altas, problemas pulmonares e estomacais. Estes sintomas desapareciam inexplicavelmente quando ele voltava. Depois de sua ordenação, seus problemas de saúde o obrigaram a permanecer em casa até 1916. Quando voltou, nesse ano, foi mandado para o Convento de São João Rotondo, lugar onde viveu até a morte.

Percebendo que a sua missão era de acolher em si o sofrimento do povo, recebe como confirmação do Cristo os sinais da Paixão em seu próprio corpo. Estava assim marcada, em si mesmo, a sua missão. Deus o queria para aliviar o sofrimento do seu povo. Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por esse sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração dos fiéis e libertá-los das garras do demônio, que era conhecido por ele como “barba azul”. Torturado, tentado e testado muitas vezes por este, sabia muito da sua astúcia no seu afã em desviar os filhos de Deus do caminho da fé.

Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital: a "Casa Alívio do Sofrimento", que viria a ser hospital de referência em toda a Europa. Mesmo com seu ministério sacerdotal vitimado por calúnias injustificáveis, não se arrefeceu seu coração para com a Igreja por quem tinha grande apreço e admiração. Sabia muito bem distinguir de onde provinham as calúnias, sendo que algumas destas vinham por parte de alguns da Igreja, e não da Igreja em si, a mãe e mestra a quem ele tanto amava.

A pedido do Santo Padre, devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, criou grupos de Oração, verdadeiras células catalizadoras do amor e da paz de Deus para serem despenseiros de tais virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos.

Na madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual e com o terço entre os dedos, repetindo o nome de Jesus e Maria, que Padre Pio descansou em paz, ele que abraçou a cruz do Cristo, fazendo desta a ponte entre a terra e o céu.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

A alegria cantará sobre meus lábios,
e a minh'alma libertada exultará.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Raiando o novo dia,
as vozes elevamos,
de Deus a graça e glória
em Cristo proclamamos.

Por ele o Criador
compôs a noite e o dia,
criando a lei eterna
que os dois alternaria.

A vós, Luz dos fiéis,
nenhuma lei domina.
Fulgis de dia e noite,
clarão da luz divina.

Ó Pai, por vossa graça,
vivamos hoje bem,
servindo a Cristo e cheios
do vosso Espírito. Amém.

Cântico......................................................................... Ez 36,24-28
Eles serão o seu povo, e o próprio Deus estará com eles (Ap 21,3).

Haverei de retirar-vos do meio das nações,
haverei de reunir-vos de todos os países,
e de volta eu levarei todos vós à vossa terra.

Haverei de derramar sobre vós uma água pura,
e de vossas imundícies sereis purificados;
sim, sereis purificados de toda a idolatria.

Dar-vos-ei um novo espírito e um novo coração;
tirarei de vosso peito este coração de pedra,
no lugar colocarei novo coração de carne.

Haverei de derramar meu Espírito em vós
e farei que caminheis obedecendo a meus preceitos,
que observeis meus mandamentos e guardeis a minha Lei.

E havereis de habitar aquela terra prometida,
que nos tempos do passado eu doei a vossos pais,
e sereis sempre o meu povo e eu serei o vosso Deus!

Glória ao Pai...

Leitura breve 2Pd 3,13-15a
O que nós esperamos, de acordo com a sua promessa, são novos céus e uma nova terra, onde habitará a justiça. Caríssimos, vivendo nesta esperança, esforçai-vos para que ele vos encontre numa vida pura e sem mancha e em paz. Considerai também salvação a longanimidade de nosso Senhor.

A alegria cantará sobre meus lábios e
a minh'alma libertada exultará.
Também celebrarei vossa justiça

BENEDICTUS
Guiai nossos passos no caminho da paz.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Adoremos a Deus, que por meio de seu Filho trouxe ao mundo vida e esperança; e peçamos humildemente:

R. Senhor, ouvi-nos!

Senhor, Pai de todos os seres humanos, que nos fizestes chegar ao princípio deste dia,
dai-nos viver unidos a Cristo para louvor da vossa glória. R.

Conservai e aumentai em nós a fé, a esperança e a caridade,
que derramastes em nossos corações. R.

Fazei que os nossos olhos estejam sempre voltados para vós,
para correspondermos com generosidade e alegria ao vosso chamado. R.

Defendei-nos das ciladas e seduções do mal,
e protegei os nossos passos de todo tropeço. R.
(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Ó Deus, que enriquecestes São Pio de Pietrelcina com o espírito de verdade e de amor para apascentar o vosso povo, concedei-nos, celebrando sua festa, seguir sempre mais o seu exemplo, sustentados por sua intercessão. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na Unidade do Espírito Santo.

Meditação do dia

Quem tem ouvidos para ouvir, ouça!

Na parábola do semeador, Cristo mostra-nos que a sua palavra se dirige a todos indistintamente. Com efeito, tal como o semeador da parábola não faz qualquer distinção entre os terrenos, mas semeia em todas as direções, também o Senhor não distingue entre o rico e o pobre, o sábio e o tolo, o negligente e o aplicado, o corajoso e o covarde, mas dirige-se a todos e, apesar de conhecer o porvir, de sua parte empenha-se totalmente, de modo a poder dizer: “Que devia eu fazer que não tenha feito?” (Is 5, 4). […]
Além disso, o Senhor diz que esta parábola é para encorajar os seus discípulos e educá-los a não se deixarem abater, ainda se os que acolhem a palavra forem menos numerosos do que os que a desperdiçam. Era assim para o próprio Mestre que, apesar do seu conhecimento do futuro, não cessava de espalhar a semente.
“Mas”, dirás tu, “que benefício havia em espalhá-la nos espinheiros, nas pedras ou no caminho?”. No caso de se tratar de uma semente e de uma terra materiais, isso não faria sentido; mas quando se trata de almas e da Palavra, a coisa é inteiramente digna de elogios. Seria reprovável, com razão, um agricultor que agisse assim; a pedra não pode tornar-se terra, o caminho não pode deixar de ser um caminho e os espinhos não podem deixar de ser espinhos. Mas no domínio espiritual não é do mesmo modo: a pedra pode tornar-se uma terra fértil, o caminho não mais ser pisado pelos caminhantes e tornar-se um campo fecundo, os espinhos podem ser arrancados e permitirem à semente frutificar livremente. Se isso não fosse possível, o semeador não teria espalhado a sua semente como o fez.

São João Crisóstomo (c. 345-407)
Arcebispo de Constantinopla
Homilias sobre São Mateus, nº 44

Oração da tarde

I Vésperas do 25º Domingo do Tempo Comum

Não cessamos de orar e interceder por vós, irmãos,
Para que possais chegar ao mais pleno conhecer
da vontade do Senhor.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Ó Deus, autor de tudo,
que a terra e o céu guiais,
de luz vestis o dia,
à noite o sono dais.

O corpo, no repouso,
prepara-se a lutar.
As mentes já se acalmam,
se faz sereno o olhar.

Senhor, vos damos graças
no ocaso deste dia.
A noite vem caindo,
mas vosso amor nos guia.

Sonora, a voz vos louve,
vos cante o coração.
O amor vos renda amor,
e a mente, adoração.

E assim, chegando a noite,
com grande escuridão,
a fé, em meio às trevas,
espalhe o seu clarão.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e Filho, Sumo Bem,
com vosso Santo Espírito
reinando sempre. Amém.
Salmo.........................................................................................49(50) 7-23
Não vim revogar a Lei, mas consumar (cf. Mt 5,17).

“Escuta, ó meu povo, eu vou falar;
ouve, Israel, eu testemunho contra ti:
Eu, o Senhor, somente eu, sou o teu Deus!

Eu não venho censurar teus sacrifícios,
pois sempre estão perante mim teus holocaustos;
não preciso dos novilhos de tua casa
nem dos carneiros que estão nos teus rebanhos.

Porque as feras da floresta me pertencem
e os animais que estão nos montes aos milhares.
Conheço os pássaros que voam pelos céus
e os seres vivos que se movem pelos campos.

Não te diria, se com fome eu estivesse,
porque é meu o universo e todo ser.
Porventura comerei carne de touros?
Beberei, acaso, o sangue de carneiros?

Imola a Deus um sacrifício de louvor
e cumpre os votos que fizeste ao Altíssimo.
Invoca-me no dia da angústia,
e então te livrarei e hás de louvar-me”.

Mas ao ímpio é assim que Deus pergunta:
“Como ousas repetir os meus preceitos
e trazer minha Aliança em tua boca?
Tu que odiaste minhas leis e meus conselhos
e deste as costas às palavras dos meus lábios!

Quando vias um ladrão, tu o seguias
e te juntavas ao convívio dos adúlteros.
Tua boca se abriu para a maldade
e tua língua maquinava a falsidade.

Assentado, difamavas teu irmão,
e ao filho de tua mãe injuriavas.
Diante disso que fizeste, eu calarei?
Acaso pensas que eu sou igual a ti?

É disso que te acuso e repreendo
e manifesto essas coisas aos teus olhos.
Entendei isto, todos vós que esqueceis Deus,
para que eu não arrebate a vossa vida,
sem que haja mais ninguém para salvar-vos!

Quem me oferece um sacrifício de louvor,
este sim é que me honra de verdade.
A todo homem que procede retamente,
eu mostrarei a salvação que vem de Deus”.

Glória ao Pai...

Leitura breve Rm 11,33-36
Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e da ciência de Deus! Como são inescrutáveis os seus juízos e impenetráveis os seus caminhos! De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa, de maneira a ter direito a uma retribuição? Na verdade, tudo é dele, por ele, e para ele. A ele, a glória para sempre. Amém!

Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras e que sabedoria em todas elas!
Encheu-se a terra com as vossas criaturas.

MAGNIFICAT
Ide vós, desocupados, trabalhar na minha vinha, e o que for justo, eu vos darei.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Ao Deus único, Pai e Filho e Espírito Santo, demos glória; e peçamos humildemente:
R. Ouvi, Senhor, a oração de vosso povo!
Pai santo, Senhor todo-poderoso, fazei brotar a justiça na terra,
para que o vosso povo se alegre na prosperidade e na paz. R.

Dai a todos os povos fazerem parte do vosso Reino,
para que sejam salvos. R.

Concedei aos esposos a perseverança na harmonia e no cumprimento de vossa vontade,
para que vivam sempre no amor mútuo. R.

Dignai-vos recompensar todos aqueles que nos fazem o bem,
e dai-lhes a vida eterna. R.

Olhai com bondade os que morreram vítimas do ódio, da violência ou da guerra,
e acolhei-os no repouso celeste. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho

Evangelho segundo S. Lucas 8,4-15.
Naquele tempo, reuniu-se uma grande multidão, que vinha ter com Jesus de todas as cidades, e Ele falou-lhes por meio da seguinte parábola:
«O semeador saiu para semear a sua semente. Quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho: foi calcada e as aves do céu comeram-na.
Outra parte caiu em terreno pedregoso: depois de ter nascido, secou por falta de humidade.
Outra parte caiu entre espinhos: os espinhos cresceram com ela e sufocaram-na.
Outra parte caiu em boa terra: nasceu e deu fruto cem por um». Dito isto, exclamou: «Quem tem ouvidos para ouvir, oiça».
Os discípulos perguntaram a Jesus o que significava aquela parábola
e Ele respondeu: «A vós foi concedido conhecer os mistérios do reino de Deus, mas aos outros serão apresentados só em parábolas, para que, ao olharem, não vejam, e, ao ouvirem, não entendam.
É este o sentido da parábola: A semente é a palavra de Deus.
Os que estão à beira do caminho são aqueles que ouvem, mas depois vem o diabo tirar-lhes a palavra do coração, para que não acreditem e se salvem.
Os que estão em terreno pedregoso são aqueles que, ao ouvirem, acolhem a palavra com alegria, mas, como não têm raiz, acreditam por algum tempo e afastam-se quando chega a provação.
A semente que caiu entre espinhos são aqueles que ouviram, mas, sob o peso dos cuidados, da riqueza e dos prazeres da vida, sentem-se sufocados e não chegam a amadurecer.
A semente que caiu em boa terra são aqueles que ouviram a palavra com um coração nobre e generoso, a conservam e dão fruto pela sua perseverança».

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement