Aleteia
La fête du jour

Quinta-feira, 31 de agosto
São José de Arimateia

Discípulo de Jesus (†sec I)    

São José de Arimateia

Era oriundo de Arimateia (Armathahim, em hebraico), um povoado de Judá — a atual Rentis — situado a 10 km a nordeste de Lida, que por sua vez é o provável lugar de nascimento de Samuel (1Sm. 1,1). José era um homem rico (Mt 25,57) e membro ilustre do Sinédrio (Mc 15,43; Lc 23,50), tinha em Jerusalém um sepulcro novo, cavado na rocha, próximo ao Gólgota. Era discípulo de Jesus, mas mantinha isso em segredo, tal como Nicodemos, por temor às autoridades judaicas (Jo 15,38).
    Lucas afirma que ele esperava o Reino de Deus e que não tinha concordado com o Sinédrio na condenação de Jesus (Lc 23,51). Nos momentos cruéis da crucificação não temeu em expor-se, pedindo a Pilatos o corpo de Jesus. Uma vez concedida a permissão pelo governador, José despregou o crucificado, envolveu-o num lençol limpo e, com a ajuda de outros, como Nicodemos, depositou Jesus no sepulcro de sua propriedade, que ninguém antes havia utilizado. Depois de fechá-lo com uma grande pedra (Mt 27,57-60, Mc 15,42-46, Lc 23,50-53 e Jo 19,38-42), o grupo foi embora. Até aqui, os dados fornecido pelo Novo Testamento.
    A partir do século IV começaram a surgir tradições lendárias de caráter fantasioso envolvendo a figura de José de Arimateia. Num apócrifo do século IV — as “Atas de Pilatos”, também chamadas de “Evangelho de Nicodemos” — narra-se que os judeus reprovaram o comportamento de José e de Nicodemos em favor de Jesus, e que por isso José foi mandado para a prisão. Libertado milagrosamente, apareceu primeiro em Arimateia e de lá se dirigiu a Jerusalém, onde contou como foi libertado por Jesus. Mais fantasiosa ainda é a obra “Vindicta Salvatoris” (“A vingança do Salvador”, também provavelmente do século IV), que teve grande difusão na Inglaterra e na Aquitânia. O livro narra a marcha de Tito à frente das suas legiões para vingar a morte de Cristo. Ao conquistar Jerusalém encontra José preso numa torre, onde fora posto para morrer de fome, mas que sobrevivera graças a um alimento celestial.
    Na França e nas Ilhas Britânicas, a lenda sobre José de Arimateia foi ganhando novos coloridos e detalhes ao longo dos séculos XI a XIII, inserindo-se no ciclo do Santo Graal e do Rei Arthur. Segundo uma dessas lendas, José lavou o corpo de Cristo, recolheu a água e o sangue num recipiente e depois dividiu o conteúdo com Nicodemos. Outras lendas dizem que José, levando consigo esse relicário, evangelizou a França (segundo alguns relatos, desembarcou em Marselha junto com Marta, Maria e Lázaro), a Espanha (onde teria sido sagrado bispo por São Tiago), a Inglaterra e Portugal. Na Inglaterra, a figura de José tornou-se muito popular: a lenda atribui a ele a fundação da primeira Igreja em solo britânico, em Glastonbury Tor. Nesse lugar, o báculo de José teria lançado raízes e florescido enquanto ele dormia. A Abadia de Glastonbury converteu-se num importante lugar de peregrinação até a sua dissolução pela Reforma em 1539. Na França, uma lenda do século IX refere que, nos tempos de Carlos Magno, o Patriarca de Jerusalém Fortunato fugiu para o Ocidente, levando os ossos de José de Arimateia, e ingressou no mosteiro de Moyenmoutier, do qual chegou a ser abade.
    Todas essas lendas, sem nenhum fundamento histórico, mostram a importância que se dava aos primeiros discípulos de Cristo. Em algumas dessas regiões, como a França e a Inglaterra, certas polêmicas anti-romanas circunstanciais podem ter motivado o desenvolvimento desses relatos no sentido de mostrar que foram evangelizadas por discípulos de Cristo e não por missionários enviados de Roma. De qualquer forma, trata-se de relatos que nada têm a ver com a verdade histórica.

Era oriundo de Arimateia (Armathahim, em hebraico), um povoado de Judá — a atual Rentis — situado a 10 km a nordeste de Lida, que por sua vez é o provável lugar de nascimento de Samuel (1Sm. 1,1). José era um homem rico (Mt 25,57) e membro ilustre do Sinédrio (Mc 15,43; Lc 23,50), tinha em Jerusalém um sepulcro novo, cavado na rocha, próximo ao Gólgota. Era discípulo de Jesus, mas mantinha isso em segredo, tal como Nicodemos, por temor às autoridades judaicas (Jo 15,38).

Lucas afirma que ele esperava o Reino de Deus e que não tinha concordado com o Sinédrio na condenação de Jesus (Lc 23,51). Nos momentos cruéis da crucificação não temeu em expor-se, pedindo a Pilatos o corpo de Jesus. Uma vez concedida a permissão pelo governador, José despregou o crucificado, envolveu-o num lençol limpo e, com a ajuda de outros, como Nicodemos, depositou Jesus no sepulcro de sua propriedade, que ninguém antes havia utilizado. Depois de fechá-lo com uma grande pedra (Mt 27,57-60, Mc 15,42-46, Lc 23,50-53 e Jo 19,38-42), o grupo foi embora. Até aqui, os dados fornecido pelo Novo Testamento.

A partir do século IV começaram a surgir tradições lendárias de caráter fantasioso envolvendo a figura de José de Arimateia. Num apócrifo do século IV — as “Atas de Pilatos”, também chamadas de “Evangelho de Nicodemos” — narra-se que os judeus reprovaram o comportamento de José e de Nicodemos em favor de Jesus, e que por isso José foi mandado para a prisão. Libertado milagrosamente, apareceu primeiro em Arimateia e de lá se dirigiu a Jerusalém, onde contou como foi libertado por Jesus. Mais fantasiosa ainda é a obra “Vindicta Salvatoris” (“A vingança do Salvador”, também provavelmente do século IV), que teve grande difusão na Inglaterra e na Aquitânia. O livro narra a marcha de Tito à frente das suas legiões para vingar a morte de Cristo. Ao conquistar Jerusalém encontra José preso numa torre, onde fora posto para morrer de fome, mas que sobrevivera graças a um alimento celestial.

Na França e nas Ilhas Britânicas, a lenda sobre José de Arimateia foi ganhando novos coloridos e detalhes ao longo dos séculos XI a XIII, inserindo-se no ciclo do Santo Graal e do Rei Arthur. Segundo uma dessas lendas, José lavou o corpo de Cristo, recolheu a água e o sangue num recipiente e depois dividiu o conteúdo com Nicodemos. Outras lendas dizem que José, levando consigo esse relicário, evangelizou a França (segundo alguns relatos, desembarcou em Marselha junto com Marta, Maria e Lázaro), a Espanha (onde teria sido sagrado bispo por São Tiago), a Inglaterra e Portugal. Na Inglaterra, a figura de José tornou-se muito popular: a lenda atribui a ele a fundação da primeira Igreja em solo britânico, em Glastonbury Tor. Nesse lugar, o báculo de José teria lançado raízes e florescido enquanto ele dormia. A Abadia de Glastonbury converteu-se num importante lugar de peregrinação até a sua dissolução pela Reforma em 1539. Na França, uma lenda do século IX refere que, nos tempos de Carlos Magno, o Patriarca de Jerusalém Fortunato fugiu para o Ocidente, levando os ossos de José de Arimateia, e ingressou no mosteiro de Moyenmoutier, do qual chegou a ser abade.

Todas essas lendas, sem nenhum fundamento histórico, mostram a importância que se dava aos primeiros discípulos de Cristo. Em algumas dessas regiões, como a França e a Inglaterra, certas polêmicas anti-romanas circunstanciais podem ter motivado o desenvolvimento desses relatos no sentido de mostrar que foram evangelizadas por discípulos de Cristo e não por missionários enviados de Roma. De qualquer forma, trata-se de relatos que nada têm a ver com a verdade histórica.

 

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração para esta manhã

Vinde, ó Deus em meu auxílio. 
Socorrei-me sem demora.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
Já surge a luz dourada, 
a treva dissipando,
que as almas do abismo 
aos poucos vai levando.

Dissipa-se a cegueira 
que a todos envolvia; 
alegres caminhemos 
na luz de um novo dia. 

Que a luz nos traga paz, 
pureza ao coração: 
longe a palavra falsa, 
o pensamento vão. 

Decorra calmo o dia: 
a mão, a língua, o olhar. 
Não deixe nosso corpo 
na culpa se manchar. 

Do alto, nossos atos 
Deus vê, constantemente; 
solícito nos segue 
da aurora ao sol poente. 

A glória seja ao Pai, 
ao Filho seu também; 
ao Espírito igualmente, 
agora e sempre. Amém.

Cântico............................................................................................ Jr 31,10-14      
Jesus iria morrer... para reunir os filhos de Deus dispersos (Jo 11,51.52).

Ouvi, nações, a palavra do Senhor
e anunciai-a nas ilhas mais distantes: 
‘Quem dispersou Israel, vai congregá-lo, 
e o guardará qual pastor a seu rebanho!’ 

Pois, na verdade, o Senhor remiu Jacó 
e o libertou do poder do prepotente. 
Voltarão para o monte de Sião,
entre brados e cantos de alegria
afluirão para as bênçãos do Senhor: 

para o trigo, o vinho novo e o azeite; 
para o gado, os cordeirinhos e as ovelhas. 
Terão a alma qual jardim bem irrigado,
e sede e fome nunca mais hão de sofrer. 

Então a virgem dançará alegremente, 
também o jovem e o velho exultarão; 
mudarei em alegria o seu luto, 
serei consolo e conforto após a pena. 
–Saciarei os sacerdotes de delícias, 
e meu povo há de fartar-se de meus bens! 

Glória ao Pai...

Leitura breve                                             Is 66,1-2 
Isto diz o Senhor: O céu é o meu trono e a terra é o apoio de meus pés. Que casa é esta que edificareis para mim, e que lugar é este para meu descanso? Tudo isso foi minha mão que fez, tudo isso é meu, diz o Senhor. Mas eu olho para este, para o pobrezinho de alma abatida, que treme ao ouvir a minha palavra. 

Clamo de todo o coração: atendei-me, ó Senhor! 
Quero cumprir vossa vontade.

BENEDICTUS
Sirvamos ao Senhor em justiça e santidade, e de nossos inimigos haverá de nos salvar.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos, 

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança 

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo, 

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino, 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados 

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz. 

Glória ao Pai...

Preces
Demos graças a Cristo que nos concede a luz deste novo dia; e lhe peçamos: 

R. Senhor, abençoai-nos e santificai-nos! 

Senhor, que vos entregastes como vítima pelos nossos pecados, 
aceitai os trabalhos que já começamos e os nossos planos de ação para hoje. R. 

Senhor, que alegrais nossos olhos com a luz deste novo dia, 
sede vós mesmo a luz dos nossos corações. R. 

Tornai-nos generosos para com todos, 
para sermos imagens fiéis da vossa bondade. R. 

Fazei-nos desde a manhã sentir o vosso amor, 
para que a vossa alegria seja hoje a nossa força. R. 
(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Deus eterno e todo-poderoso, ouvi as súplicas que vos dirigimos de manhã, ao meio-dia e à tarde; expulsai de nossos corações as trevas do pecado e fazei-nos alcançar a verdadeira luz, Jesus Cristo. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

Vinde, ó Deus em meu auxílio. 
Socorrei-me sem demora.

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém

Hino

Já surge a luz dourada,
a treva dissipando,
que as almas do abismo
aos poucos vai levando.

Dissipa-se a cegueira
que a todos envolvia;
alegres caminhemos
na luz de um novo dia.

Que a luz nos traga paz,
pureza ao coração:
longe a palavra falsa,
o pensamento vão.

Decorra calmo o dia:
a mão, a língua, o olhar.
Não deixe nosso corpo
na culpa se manchar.

Do alto, nossos atos
Deus vê, constantemente;
solícito nos segue
da aurora ao sol poente.

A glória seja ao Pai,
ao Filho seu também;
ao Espírito igualmente,
agora e sempre. Amém.

Cântico............................................................................................ Jr 31,10-14      
Jesus iria morrer... para reunir os filhos de Deus dispersos (Jo 11,51.52).

Ouvi, nações, a palavra do Senhor
e anunciai-a nas ilhas mais distantes:
‘Quem dispersou Israel, vai congregá-lo,
e o guardará qual pastor a seu rebanho!’

Pois, na verdade, o Senhor remiu Jacó
e o libertou do poder do prepotente.
Voltarão para o monte de Sião,
entre brados e cantos de alegria
afluirão para as bênçãos do Senhor:

para o trigo, o vinho novo e o azeite;
para o gado, os cordeirinhos e as ovelhas.
Terão a alma qual jardim bem irrigado,
e sede e fome nunca mais hão de sofrer.

Então a virgem dançará alegremente,
também o jovem e o velho exultarão;
mudarei em alegria o seu luto,
serei consolo e conforto após a pena.
–Saciarei os sacerdotes de delícias,
e meu povo há de fartar-se de meus bens!

Glória ao Pai...

Leitura breve                                             Is 66,1-2 
Isto diz o Senhor: O céu é o meu trono e a terra é o apoio de meus pés. Que casa é esta que edificareis para mim, e que lugar é este para meu descanso? Tudo isso foi minha mão que fez, tudo isso é meu, diz o Senhor. Mas eu olho para este, para o pobrezinho de alma abatida, que treme ao ouvir a minha palavra.

Clamo de todo o coração: atendei-me, ó Senhor! 
Quero cumprir vossa vontade.

BENEDICTUS

Sirvamos ao Senhor em justiça e santidade, e de nossos inimigos haverá de nos salvar.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces

Demos graças a Cristo que nos concede a luz deste novo dia; e lhe peçamos:

R. Senhor, abençoai-nos e santificai-nos! 

Senhor, que vos entregastes como vítima pelos nossos pecados,
aceitai os trabalhos que já começamos e os nossos planos de ação para hoje. R.

Senhor, que alegrais nossos olhos com a luz deste novo dia,
sede vós mesmo a luz dos nossos corações. R.

Tornai-nos generosos para com todos,
para sermos imagens fiéis da vossa bondade. R.

Fazei-nos desde a manhã sentir o vosso amor,
para que a vossa alegria seja hoje a nossa força. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração

Deus eterno e todo-poderoso, ouvi as súplicas que vos dirigimos de manhã, ao meio-dia e à tarde; expulsai de nossos corações as trevas do pecado e fazei-nos alcançar a verdadeira luz, Jesus Cristo. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

Meditação do dia

O verdadeiro Jejum

    Ao comer do fruto da árvore proibida, Adão transgrediu os preceitos da vida (Gn 3,6). Quanto a nós, é reduzindo, na medida do possível, o que comemos que nos reergueremos e reencontraremos a alegria do Paraíso.
    No entanto, que ninguém fique a pensar que basta essa abstinência. Com efeito, diz Deus pelo Seu profeta: “O jejum que me agrada é este: […] repartir o teu pão com os esfomeados, dar abrigo aos infelizes sem casa, atender e vestir os nus e não desprezar o teu irmão” (Is 58,6-7). Aí está o jejum que Deus aprova: aquele que é apresentado com as mãos cheias de esmolas e o coração cheio de amor, um jejum todo preenchido de bondade. Dá a outrem aquilo de que te privas pessoalmente e a tua penitência corporal contribuirá para o bem-estar físico dos que passam necessidades.
    Assim poderás compreender a censura do Senhor pela boca do profeta: “Quando jejuastes e chorastes […], foi realmente em minha honra que multiplicastes os vossos jejuns? E quando comíeis e bebíeis, não éreis vós os comedores e os bebedores?” (Zc 7,5-6). Ser comedor e bebedor, é consumir alimentos destinados ao sustento do corpo sem os partilhar com ninguém, já que eles foram destinados pelo Criador a toda a comunidade humana. Jejuar em proveito próprio é privar-se temporariamente de alimento, mas reservar esse fruto da autoprivação para o consumir mais tarde. “Ordenai um jejum”, diz o profeta (Jl 1,14). […] Que a cólera cesse e as querelas desapareçam! É vã a mortificação do corpo que não impõe ao coração a disciplina para refrear desejos desordenados. […]”. Diz ainda o profeta: “No dia do vosso jejum só cuidais dos vossos negócios, e oprimis todos os vossos empregados. Jejuais entre rixas e disputas, dando bofetadas sem dó nem piedade” (Is 58,3-4). […] Com efeito, só perdoando aos nossos irmãos é que Deus não nos imputará a nossa injustiça.

São Leão Magno (?-c. 461),
Homilias sobre os Evangelhos, nº 16

Oração para esta tarde

Na comunhão dos santos, bendigamos ao Senhor!
Aclamemos o Rochedo que nos salva!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Deus de supremo poder, 
da água os seres gerastes. 
Com uns enchestes os mares, 
de outros o ar povoastes. 

Uns mergulhastes nas águas, 
outros soltastes no ar, 
com o impulso que os leva 
a toda a terra ocupar. 

Dai graça a todos os servos, 
no vosso sangue lavados, 
para vencermos o tédio, 
a morte e todo pecado. 

Não nos deprimam as culpas, 
nem nos inflame a vaidade; 
não caia a mente abatida, 
nem caia a mente elevada. 

Ouvi-nos, Pai piedoso, 
e vós, Imagem do Pai, 
que como Espírito Santo 
eternamente reinais.
Salno ........................................................................................................31(32)     
Davi declara feliz o homem a quem Deus credita a justiça independentemente das obras (Rm 4,6).

Feliz o homem que foi perdoado 
e cuja falta já foi encoberta! 
Feliz o homem a quem o Senhor 
não olha mais como sendo culpado,
e em cuja alma não há falsidade! 

Enquanto eu silenciei meu pecado,
dentro de mim definhavam meus ossos
e eu gemia por dias inteiros, 

porque sentia pesar sobre mim
a vossa mão, ó Senhor, noite e dia; 
e minhas forças estavam fugindo, 
tal como a seiva da planta no estio. 

Eu confessei, afinal, meu pecado, 
e minha falta vos fiz conhecer. 
Disse: 'Eu irei confessar meu pecado!' 
E perdoastes, Senhor, minha falta. 

Todo fiel pode, assim, invocar-vos, 
durante o tempo da angústia e aflição, 
porque, ainda que irrompam as águas, 
não poderão atingi-lo jamais. 

Sois para mim proteção e refúgio; 
na minha angústia me haveis de salvar, 
e envolvereis a minha alma no gozo 
da salvação que me vem só de vós. 

'Vou instruir-te e te dar um conselho; 
vou te dar um conselho a seguir,
e sobre ti pousarei os meus olhos: 

Não queiras ser semelhante ao cavalo, 
ou ao jumento, animais sem razão; 
eles precisam de freio e cabresto 
para domar e amansar seus impulsos, 
pois de outro modo não chegam a ti'. 

Muito sofrer é a parte dos ímpios; 
mas quem confia em Deus, o Senhor, 
é envolvido por graça e perdão. 

Regozijai-vos, ó justos, em Deus, 
e no Senhor exultai de alegria! 
Corações retos, cantai jubilosos!
Glória ao Pai...

Leitura breve                                                 1Pd 1,6-9 
Isto é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações. Deste modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira – mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo – e alcançará louvor, honra e glória, no dia da manifestação de Jesus Cristo. Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.

O Senhor nos saciou com a fina flor do trigo. 
Com o mel que sai da rocha, nos fartou, nos satisfez. 

MAGNIFICAT
O Senhor derrubou os poderosos de seus tronos e elevou os humildes.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome! 
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam; 

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos a Deus, nosso auxílio e esperança; e lhe peçamos com humildade: 

R. Velai, Senhor, sobre os vossos filhos e filhas! 

Senhor nosso Deus, que firmastes com o vosso povo uma aliança eterna, 
fazei que nos recordemos sempre de vossas maravilhas. R. 

Aumentai nos sacerdotes o espírito de caridade, 
e conservai os fiéis na unidade do espírito pelo vínculo da paz. R. 

Fazei que edifiquemos sempre em união convosco a cidade terrena, 
para que não trabalhem em vão os que a constroem. R. 
Enviai operários à vossa messe, 
para que vosso nome seja glorificado entre todos os povos. R. 

Admiti no convívio dos vossos santos nossos parentes, amigos e benfeitores falecidos, 
e fazei que um dia nos encontremos com eles no vosso reino. R. 
(Intenções livres)

Pai nosso ...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

Na comunhão dos santos, bendigamos ao Senhor!

Aclamemos o Rochedo que nos salva!

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém.

Hino

Deus de supremo poder,
da água os seres gerastes.
Com uns enchestes os mares,
de outros o ar povoastes.

Uns mergulhastes nas águas,
outros soltastes no ar,
com o impulso que os leva
a toda a terra ocupar.

Dai graça a todos os servos,
no vosso sangue lavados,
para vencermos o tédio,
a morte e todo pecado.

Não nos deprimam as culpas,
nem nos inflame a vaidade;
não caia a mente abatida,
nem caia a mente elevada.

Ouvi-nos, Pai piedoso,
e vós, Imagem do Pai,
que como Espírito Santo
eternamente reinais.

Salno ........................................................................................................31(32)     

Davi declara feliz o homem a quem Deus credita a justiça independentemente das obras (Rm 4,6).

Feliz o homem que foi perdoado
e cuja falta já foi encoberta!
Feliz o homem a quem o Senhor
não olha mais como sendo culpado,
e em cuja alma não há falsidade!

Enquanto eu silenciei meu pecado,
dentro de mim definhavam meus ossos
e eu gemia por dias inteiros,

porque sentia pesar sobre mim
a vossa mão, ó Senhor, noite e dia;
e minhas forças estavam fugindo,
tal como a seiva da planta no estio.

Eu confessei, afinal, meu pecado,
e minha falta vos fiz conhecer.
Disse: 'Eu irei confessar meu pecado!'
E perdoastes, Senhor, minha falta.

Todo fiel pode, assim, invocar-vos,
durante o tempo da angústia e aflição,
porque, ainda que irrompam as águas,
não poderão atingi-lo jamais.

Sois para mim proteção e refúgio;
na minha angústia me haveis de salvar,
e envolvereis a minha alma no gozo
da salvação que me vem só de vós.

'Vou instruir-te e te dar um conselho;
vou te dar um conselho a seguir,
e sobre ti pousarei os meus olhos:

Não queiras ser semelhante ao cavalo,
ou ao jumento, animais sem razão;
eles precisam de freio e cabresto
para domar e amansar seus impulsos,
pois de outro modo não chegam a ti'.

Muito sofrer é a parte dos ímpios;
mas quem confia em Deus, o Senhor,
é envolvido por graça e perdão.

Regozijai-vos, ó justos, em Deus,
e no Senhor exultai de alegria!
Corações retos, cantai jubilosos!

Glória ao Pai...

Leitura breve                                                 1Pd 1,6-9
Isto é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações. Deste modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira – mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo – e alcançará louvor, honra e glória, no dia da manifestação de Jesus Cristo. Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.

O Senhor nos saciou com a fina flor do trigo. 

Com o mel que sai da rocha, nos fartou, nos satisfez. 

MAGNIFICAT

O Senhor derrubou os poderosos de seus tronos e elevou os humildes.

A minha alma engrandece ao Senhor

e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;

pois ele viu a pequenez de sua serva,

desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas

e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,

chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,

dispersou os orgulhosos;

derrubou os poderosos de seus tronos

e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,

e despediu, sem nada, os ricos.

Acolheu Israel, seu servidor,

fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,

em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos a Deus, nosso auxílio e esperança; e lhe peçamos com humildade:

R. Velai, Senhor, sobre os vossos filhos e filhas!

Senhor nosso Deus, que firmastes com o vosso povo uma aliança eterna,
fazei que nos recordemos sempre de vossas maravilhas. R.

Aumentai nos sacerdotes o espírito de caridade,
e conservai os fiéis na unidade do espírito pelo vínculo da paz. R.

Fazei que edifiquemos sempre em união convosco a cidade terrena,
para que não trabalhem em vão os que a constroem. R.

Enviai operários à vossa messe,
para que vosso nome seja glorificado entre todos os povos. R.

Admiti no convívio dos vossos santos nossos parentes, amigos e benfeitores falecidos,
e fazei que um dia nos encontremos com eles no vosso reino. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

ANTÍFONA MARIANA

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.

A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.

Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.

Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

Evangelho do dia

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Vigiai, porque não sabeis em que dia virá o vosso Senhor.
Compreendei isto: se o dono da casa soubesse a que horas da noite viria o ladrão, estaria vigilante e não deixaria arrombar a sua casa.
Por isso, estai vós também preparados, porque na hora em que menos pensais, virá o Filho do homem.
Quem é o servo fiel e prudente, que o senhor pôs à frente da sua casa, para lhe dar o alimento em tempo oportuno?
Feliz aquele servo que o senhor, ao chegar, encontrar procedendo assim.
Em verdade vos digo que lhe confiará a administração de todos os seus bens.
Mas se o servo for mau e disser consigo: ‘O meu senhor demora-se’,
e começar a espancar os companheiros e a comer e beber com os ébrios,
quando o senhor daquele servo chegar, em dia que ele não espera e à hora que ele não pensa,
expulsá-lo-á e lhe dará a sorte dos hipócritas. Aí haverá choro e ranger de dentes».

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement