Aleteia
La fête du jour

Quinta-feira, 22 de junho
S√£o Paulino de Nola

Padre da Igreja  (†431)

 

Nascido no ano de 354, em Bord√©us, G√°lia, Paulino de Nola (em latim: Paulinus Nolanus), nascido P√īncio Mer√≥pio An√≠cio Paulino, foi em sua juventude c√īnsul, exercendo importantes cargos civis e ao governar a Camp√Ęnia, uma regi√£o no sul da It√°lia, ficou conhecido por sua mansid√£o e sabedoria ao exercer seu cargo.

O início de sua conversão ao cristianismo foi fruto do seu contato com a fé simples e intensa do povo desta região. Após a morte de seu filho recém-nascido, decidiu, junto com sua esposa Terásia, doar os seus bens aos pobres, viver em casta fraternidade e fundar uma comunidade monástica de vida eremítica.

Recebeu o sacramento da ordem em 394 e foi ordenado bispo de Nola, em 409, diocese situada na prov√≠ncia de N√°poles. Foi contempor√Ęneo de Santo Agostinho e √© venerado como santo pela Igreja Cat√≥lica e Ortodoxa.

Sua atividade pastoral ficou marcada pela sua particular aten√ß√£o para com os pobres, deixando sempre a imagem de aut√™ntico "pastor da caridade‚ÄĚ.

Deixou v√°rios tratados de teologia e comp√īs uma cole√ß√£o de poemas, not√°veis pela eleg√Ęncia do seu estilo.

Faleceu no dia 22 de junho de 431, aos 77 anos, na Sicília, Itália.

Segundo o papa Bento XVI a sua convers√£o "impressionou seus contempor√Ęneos, que o reprovavam pelo desprezo pelos bens materiais e o abandono da sua voca√ß√£o de literato, ao que Paulino replicava que a sua entrega aos pobres n√£o significava desprezo pelos bens terrenos, mas ao contr√°rio, valorizava-os ainda mais para o fim mais alto da caridade e que ‚Äėuma nova est√©tica governava a sua sensibilidade: a beleza de Deus encarnado, crucificado e ressuscitado‚Äô". (Audi√™ncia geral, 12/12/2007).

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Entre ritmos festivos nós cantaremos;
Estão em ti as nossas fontes, ó Cidade do Senhor!

 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém

 

Hino

Hoje cantemos o triunfo 
do guia sábio e bom pastor; 
que já reina entre os eleitos 
a testemunha do Senhor.

Foi guia e mestre mui brilhante, 
da vida santa deu lição; 
buscou a Deus ser agradável, 
mantendo puro o coração.

Oremos para que, bondoso, 
peça perdão para os faltosos, 
e sua prece nos conduza
do céu aos cumes luminosos. 

Poder, louvor, honra e glória 
ao Deus eterno e verdadeiro, 
que, em suas leis, rege e sustenta, 
governa e guia o mundo inteiro.

 

Salmo 98(99)


Vós, Senhor, que estais acima dos Querubins, quando vos fizestes semelhante a nós restaurastes o mundo decaído (Sto. Atanásio). 

Deus é Rei: diante dele estremeçam os povos!
Ele reina entre os anjos: que a terra se abale!  
Porque grande é o Senhor em Sião! 

Muito acima de todos os povos se eleva;
glorifiquem seu nome terrível e grande,  
porque ele é santo e é forte! 

Deus é Rei poderoso. Ele ama o que é justo
e garante o direito, a justiça e a ordem; * 
tudo isso ele exerce em Jacó. 

Exaltai o Senhor nosso Deus,  
e prostrai-vos perante seus pés,
pois é santo o Senhor nosso Deus! 

Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes.
E também Samuel invocava seu nome,  
e ele mesmo, o Senhor, os ouvia. 

Da coluna de nuvem falava com eles.
E guardavam a lei e os preceitos divinos,  
que o Senhor nosso Deus tinha dado. 

Respondíeis a eles, Senhor nosso Deus,  
porque éreis um Deus paciente com eles,  
mas sabíeis punir seu pecado. 

Exaltai o Senhor nosso Deus,
e prostrai-vos perante seu monte,  
pois é santo o Senhor nosso Deus! 

 

Glória ao Pai...

 

Leitura breve               1Pd 4,10-11

Como bons administradores da multiforme graça de Deus, cada um coloque à disposição dos outros o dom que recebeu. Se alguém tem o dom de falar, proceda como com palavras de Deus. Se alguém tem o dom do serviço, exerça-o como capacidade proporcionada por Deus, a fim de que, em todas as coisas, Deus seja glorificado, em virtude de Jesus Cristo. 

 

Clamo de todo o coração: Atendei-me, ó Senhor! 

 

BENEDICTUS

 

Sirvamos ao Senhor na santidade e ele nos libertar√° de nossos inimigos.

 

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

 
e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos, 


para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança 

e o juramento a Abra√£o, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo, 


a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino, 
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 


anunciando ao seu povo a salvação,
que est√° na remiss√£o de seus pecados;

pela bondade e compaix√£o de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,


para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados 


e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz. 

Glória ao Pai...

 

Preces

Invoquemos a Jesus Cristo, alegria de todos os que nele esperam; e digamos: 

R. Ouvi-nos, Senhor, e atendei-nos! 

Cristo, quisestes mostrar vosso amor e misericórdia nos santos pastores; 
‚Ästpor meio deles, sede sempre misericordioso para conosco.¬† R.¬†

Aqueles que escolhestes como mensageiros do vosso evangelho, 
‚Ästtornai-os fi√©is e zelosos administradores dos mist√©rios do reino.¬†R.¬†

 

Em vossos santos, que guiamos povos, sois o médico dos corpos e das almas; 
‚Ästn√£o cesseis de exercer para conosco o minist√©rio da vida e da santidade.

Rei da paz, mandai o vosso Espírito sobre aqueles que governam os povos, 
‚Ästa fim de que olhem com mais aten√ß√£o para os pobres e necessitados.¬†R.¬†

Socorrei os que são vítimas da discriminação por causa da raça, cor, condição, língua ou religião, 

- e fazei que sejam reconhecidos os seus direitos e sua dignidade. R. 

(Inten√ß√Ķes livres)

 

Pai nosso ...

 

Oração

√ď Deus, ¬†que fizestes brilhar no bispo S√£o Paulino de Nola o amor √† pobreza e o zelo pastoral, concedei que, celebrando os seus m√©ritos, imitemos sua caridade.

Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Se pedirdes alguma coisa ao Pai em meu nome, ele vo-la dar√°

‚ÄúN√£o nos deixeis cair em tenta√ß√£o‚ÄĚ (Mt 6,13) [‚Ķ]. Quando pedimos para n√£o cair em tenta√ß√£o, lembramo-nos da nossa fragilidade, para que ningu√©m se olhe a si pr√≥prio com complac√™ncia, para que ningu√©m se eleve com insol√™ncia, se glorifique a si mesmo pela sua fidelidade ou pela sua prova√ß√£o, quando o pr√≥prio Senhor nos ensina a humildade, quando nos diz: ‚ÄúVigiai e orai, para n√£o cederdes √† tenta√ß√£o. O esp√≠rito est√° cheio de ardor, mas a carne √© d√©bil‚ÄĚ (Mc 14,38). Se primeiro fizermos profiss√£o de humildade, daremos a Deus tudo o que pedirmos com temor e rever√™ncia, e podemos estar certos de que a sua bondade no-lo conceder√°.

Esta ora√ß√£o termina com uma conclus√£o que re√ļne, numa forma breve, todos os pedidos. Dizemos no final: ‚ÄúMas livrai-nos do mal‚ÄĚ. Compreendemos, neste passo, que o inimigo pode maquinar contra n√≥s neste mundo, mas estamos certos de ter um amparo poderoso se Deus no-lo conceder, se ele vier em socorro daqueles que lhe imploram. Portanto, quando dizemos: ‚ÄúLivrai-nos do mal‚ÄĚ, nada mais temos a pedir. [‚Ķ] Ficamos fortalecidos contra todas as maquina√ß√Ķes do dem√īnio e do mundo. Quem poder√° temer o mundo, se Deus for o nosso protetor neste mundo?

Porque estranharmos que Deus nos tenha ensinado a orar desta maneira, ensinando-nos numa t√£o breve f√≥rmula tudo o que devemos pedir para nossa salva√ß√£o? [‚Ķ] Quando o Verbo de Deus, nosso Senhor Jesus Cristo, veio para todos os homens, reuniu os doutos e os ignorantes, e forneceu os preceitos de salva√ß√£o para todos, seja qual for o sexo ou a idade. Fez uma resenha concisa dos seus preceitos [‚Ķ]. Assim, quando quis ensinar em que consiste a vida eterna, sintetizou todo o mist√©rio da vida numa f√≥rmula de concis√£o maravilhosa: ‚ÄúEsta √© a vida eterna: que te conhe√ßam a ti, √ļnico Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem tu enviaste‚ÄĚ (Jo 17,3).

 

 

S√£o Cipriano

M√°rtir (200-258)

I Vésperas da Solenidade

do Sagrado Coração de Jesus

 

Vinde à fonte da sabedoria,

Vinde para o Senhor manso e humilde.

 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém.

 

Hino

Coração, arca santa, guardando

n√£o a lei que aos antigos foi dada,

mas o dom duma nova Aliança,

no perdão e na graça firmada.

 

Coração, sois o novo Sacrário

da Aliança do céu com a terra,

Templo novo, mais santo que o velho,

véu que o Santo dos Santos encerra.

 

Vosso lado por nós foi aberto,

revelando ao olhar dos mortais

as raízes do amor invisível,

da ternura com que nos amais.

 

Sois sinal do amor infinito

de Jesus, que por nós se entregou,

e na cruz, sacerdote perfeito,

a perfeita oblação consumou.

 

Tal amor, haver√° quem n√£o ame?

Quem lhe possa ficar insensível?

Quem n√£o busque, na paz deste lado,

o ref√ļgio, a morada invis√≠vel?

 

Esta graça esperamos do Pai

e do Espírito Santo também:

no fiel Coração de Jesus

para sempre habitarmos. Amém.

 

Salmo 71(72)                                                                             2-13                    

Vós vos aproximastes do monte Sião e da cidade do Deus vivo, a Jerusalém celeste (Hb 12,22).

 

√ď Deus, inspirai o Rei com tuas justas senten√ßas
e tua justiça no Filho do Rei. 

Que Ele julgue teu povo com retid√£o

e teus pobres com lealdade!

Que seja fecunda a paz do povo nas montanhas,

assim como nas colinas - pela ação da tua justiça!

Que Ele faça justiça aos pobres do povo,

Que Ele dê assistência aos filhos do indigente e

reprima quem usa de violência!


Que possa te venerar tanto quanto brilhe o sol,

tanto quanto brilhe a lua, de geração em geração.

Que seja como a chuva regando os prados renovados,

como ondas que umedecem a terra!

 

Que, sob seu reino, o justo floresça;

e que a paz seja abundante até que falte a lua!

Que seu domínio se estenda de mar a mar

Do Rio até as extremidades da Terra!

 

Que diante dele os habitantes do deserto se curvem

E que seus inimigos lambam o pó!

Que os reis de Tarsis e das ilhas tragam oferendas,

Que os reis de Cheba e de Seba apresentem dons!

 

Que todos os reis, enfim, rendam a Ele homenagem,

que todos os povos se tornem seus servidores!

 

Glória ao Pai...

 

 

Leitura breve            Ef  5,25b-27

Cristo amou a Igreja e se entregou por ela. Ele quis assim torná-la santa, purificando-a com o banho da água unida à Palavra. Ele quis apresentá-la a si mesmo esplêndida, sem mancha nem ruga, nem defeito algum, mas santa e irrepreensível. 

 

Cristo nos amou e nos libertou por seu sangue. 

 

MAGNIFICAT

Ele veio nos trazer o Seu Reino e abrir o caminho até ele.

 

A minha alma engrandece ao Senhor

e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;

pois ele viu a pequenez de sua serva,

desde agora as gera√ß√Ķes h√£o de chamar-me de bendita.¬†

O Poderoso fez por mim maravilhas

e Santo é o seu nome! 
Seu amor, de geração em geração,

chega a todos que o respeitam; 

demonstrou o poder de seu braço,

dispersou os orgulhosos;

derrubou os poderosos de seus tronos

e os humildes exaltou;

 

De bens saciou os famintos,

e despediu, sem nada, os ricos.

Acolheu Israel, seu servidor,

fiel ao seu amor,

 

como havia prometido aos nossos pais,

em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 


Glória ao Pai...

 

Preces
Na vigília da Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, oremos humildemente ao Pai da misericórdia: 

R. Mostrai-nos, Senhor, o teu amor! 

Pela Santa Igreja de Deus, nascida do Coração do Cristo:  
‚Ästpara que anuncie a todos os povos o amor de Deus aos homens¬†R.¬†.¬†

Por todas as na√ß√Ķes e seus habitantes:¬†
‚Ästpara que vivam na justi√ßa e se edifiquem na caridade.¬†R.¬†

Pelos necessitados, pelos enfermos e pelos pobres:
‚Ästpara que o Senhor inspire mais cora√ß√Ķes humanos a confort√°-los.¬†R.¬†

Pelos membros da nossa paróquia: 
‚Ästpara que saibamos nos amar mutuamente e que reine entre n√≥s a humildade e a compreens√£o¬†R.¬†


Que o próprio Jesus, que foi obediente até a morte,
‚Ästchame os que dormem na morte R.¬†

 

(Inten√ß√Ķes livres)

 

Pai nosso ...

 

ANT√ćFONA MARIANA

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.

A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.

Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.

Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

 

 

 

SEJAM SANTOS!

Na escola da santidade.

Evangelho segundo S. Mateus 6,7-15. 
Naquele tempo, disse Jesus aos seus disc√≠pulos: ¬ęQuando orardes, n√£o digais muitas palavras, como os pag√£os, porque pensam que ser√£o atendidos por falarem muito.
Não sejais como eles, porque o vosso Pai bem sabe do que precisais, antes de vós Lho pedirdes.
Orai assim: ‚ÄėPai nosso, que estais nos C√©us, santificado seja o vosso nome;
venha a nós o vosso reino; seja feita a vossa vontade assim na terra como no Céu.
O p√£o nosso de cada dia nos dai hoje;
perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido;
e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal’.
Porque se perdoardes aos homens as suas faltas, também o vosso Pai celeste vos perdoará.
Mas se n√£o perdoardes aos homens, tamb√©m o vosso Pai n√£o vos perdoar√° as vossas faltas¬Ľ.

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement