Aleteia
La fête du jour

Quarta-feira, 9 de agosto
Santa Teresa Bendita da Cruz (Edith Stein)

Virgem e mártir (†1942)

Edith Stein nasceu em 12 de outubro de 1891 na Breslau (Alemanha), num dia de Kippur – o dia da expiação para a fé judaica. Ela era a filha mais nova de uma família judia de onze irmãos; órfã de pai, ia à sinagoga com sua mãe que, embora sendo muito religiosa, teve dificuldade de passar a fé aos filhos. De fato, Edith, ao atingir a idade de 21 anos, se confessará ateia. Entra na faculdade e começa a estudar filosofia na Breslau. Em 1913, atraída pela fenomenologia de Husserl, decide mudar de universidade, mais tarde trabalhará como sua assistente. Em 1914 começa sua tese doutoral, mas a interrompe para colaborar como enfermeira da Cruz Vermelha durante a Primeira Guerra Mundial. Ainda no início do século XX, Edith começará a experimentar uma grande paz, fruto de seu encontro com o cristianismo: numa noite, ao terminar a leitura do Livro da Vida de Santa Teresa de Jesus, diz: “Isto é a verdade!”. Em janeiro de 1922 receberá o batismo cristão e em 1933 entrará no Carmelo da cidade de Colônia. Diante da perseguição nazista contra os judeus, foge para o Carmelo de Echt, na Holanda; infelizmente, no dia 2 de maio de 1942 a Gestapo descobre e prende Edith e sua irmã Rosa. Dois dias depois é transferida para a Polônia com sua irmã, também ela já convertida ao catolicismo. Ambas entram no campo de concentração de Auschwitz, para daí não mais sair... De fato, a Cruz Vermelha holandesa publica em seguida uma nota: “Edith Stein, nascida em Breslau, foi assassinada no dia 9 de agosto de 1942 em Auschwitz, numa câmara de gás”. Foi canonizada como mártir em 1988. Em outubro de 1999 foi declarada Padroeira da Europa, junto com Santa Brígida e Santa Catarina.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

Vinde, adoremos o Senhor, admirável em seus santos.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém
Hino
Criador das alturas celestes,
vós fixastes caminhos de luz
para a lua, rainha da noite,
para o sol, que de dia reluz.

Vai-se a treva, fugindo da aurora,
e do dia se espalha o clarão.
Nova força também nos desperta
e nos une num só coração.

O nascer deste dia convida
a cantarmos os vossos louvores.
Do céu jorra uma paz envolvente,
harmonia de luz e de cores.

Ao clarão desta luz que renasce,
fuja a treva e se apague a ilusão.
A discórdia não trema nos lábios,
a maldade não turve a razão.

Quando o sol vai tecendo este dia,
brilhe a fé com igual claridade,
cresça a espera nos bens prometidos
e nos una uma só caridade.

Escutai-nos, ó Pai piedoso,
e vós, Filho, do Pai esplendor,
que reinais, como Espírito Santo,
na manhã sem ocaso do amor.

Cântico ................1Sm 2,1-10

Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. Encheu de bens os famintos (Lc 1,52-53).

Exulta no Senhor meu coração,
e se eleva a minha fronte no meu Deus;
minha boca desafia os meus rivais
porque me alegro com a vossa salvação.

Não há santo como é santo o nosso Deus,
ninguém é forte à semelhança do Senhor!
Não faleis tantas palavras orgulhosas,
nem profiram arrogâncias vossos lábios!

Pois o Senhor é o nosso Deus que tudo sabe.
Ele conhece os pensamentos mais ocultos.
O arco dos fortes foi dobrado, foi quebrado,
mas os fracos se vestiram de vigor.

Os saciados se empregaram por um pão,
mas os pobres e os famintos se fartaram.
Muitas vezes deu à luz a que era estéril,
mas a mãe de muitos filhos definhou.

É o Senhor quem dá a morte e dá a vida,
faz descer à sepultura e faz voltar;
é o Senhor quem faz o pobre e faz o rico,
é o Senhor quem nos humilha e nos exalta.

O Senhor ergue do pó o homem fraco,
e do lixo ele retira o indigente,
para fazê-los assentar-se com os nobres
num lugar de muita honra e distinção.

As colunas desta terra lhe pertencem,
e sobre elas assentou o universo.
Ele vela sobre os passos de seus santos,
mas os ímpios se extraviam pelas trevas.

Ninguém triunfa se apoiando em suas forças;
os inimigos do Senhor serão vencidos;
sobre eles faz troar o seu trovão,
o Senhor julga os confins de toda a terra.

O Senhor dará a seu Rei a realeza
e exaltará o seu Ungido com poder.

Glória ao Pai...

Leitura breve Rm 8,35.37
Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação? Angústia? Perseguição? Fome? Nudez? Perigo? Espada? Mas, em tudo isso, somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou!

Bendirei o Senhor Deus, bendirei em todo o tempo.
Seu louvor em minha boca, seu louvor eternamente.

BENEDICTUS
Sirvamos ao Senhor em santidade
enquanto perdurarem nossos dias.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois irás andando à frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar a quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Bendito seja Deus, nosso Salvador, que prometeu permanecer conosco todos os dias até o fim do mundo. Dando-lhe graças, peçamos:

R. Ficai conosco, Senhor!

Ficai conosco, Senhor, durante todo o dia,
– e que jamais se ponha em nossa vida o sol da vossa justiça. R.

Nós vos consagramos este dia como uma oferenda agradável,
– e nos comprometemos a praticar somente o bem. R.

Fazei, Senhor, que todo este dia transcorra como um dom da vossa luz,
– para que sejamos sal da terra e luz do mundo. R.

Que a caridade do Espírito Santo inspire nossos corações e nossas palavras,
– a fim de permanecermos sempre em vossa justiça e em vosso louvor. R.

(Intenções livres)

Pai nosso ...

Oração
Acendei, Senhor, em nossos corações a claridade de vossa luz, para que, andando sempre no caminho de vossos mandamentos, sejamos livres de todo erro. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Meditação

Mulher, grande é a tua fé

Essa mulher cananeia, da qual falava o Evangelho que foi lido pouco antes, recebe um grande elogio, nos oferece um exemplo de humildade e de uma conduta inspirada na fé: ela nos mostra como podemos nos elevar da humildade até o céu. Ela, porém, como é claro, não era do povo de Israel, ao qual pertenciam os Patriarcas, os Profetas, os parentes de nosso Senhor Jesus Cristo e a própria Virgem Maria, Mãe de Cristo. Essa mulher não pertencia a esse povo, ela era pagã. De fato, como nós ouvimos, o Senhor havia se retirado para a região de Tiro e Sidon. A mulher cananeia tinha vindo dali e, com uma insistência petulante, implorava a graça da cura para a filha que estava atormentada pelo demônio. [...]. Vede como foi sublinhada a humildade [dessa mulher]. O Senhor a havia chamado de “cão”; ela, por sua vez, não negou; antes, disse que era isso mesmo. E, visto que se reconheceu como um “cão”, imediatamente o Senhor lhe disse: “Ó mulher, grande é tua fé! Que te seja feito como queres! Tu te reconheceste como um cão, e por isso eu te reconheço como pessoa humana. Ó mulher, grande é a tua fé; pediste, buscaste, bateste à porta; agora recebe, encontra, que te seja aberta a porta”. Vede, irmãos, como foi sobretudo a humildade dessa mulher, que era cananeia, que vinha do paganismo a ser exaltada; e ela era prefiguração, isto é, símbolo da Igreja.

Santo Agostinho de Hipona
Bispo e doutor da Igreja (354-430).

Oração da tarde

Ó Deus, na hora propícia dirigimos a vós a nossa súplica!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Devagar, vai o sol se escondendo,
deixa os montes, o campo e o mar,
mas renova o presságio da luz,
que amanhã vai de novo brilhar.

Os mortais se admiram do modo
pelo qual, generoso Senhor,
destes leis ao transcurso do tempo,
alternância de sombra e fulgor.

Quando reina nos céus o silêncio
e declina o vigor para a lida,
sob o peso das trevas a noite
nosso corpo ao descanso convida.

De esperança e de fé penetrados,
saciar-nos possamos, Senhor,
de alegria na glória do Verbo
que é do Pai o eterno esplendor.

Este é o sol que jamais tem ocaso
e também o nascer desconhece.
Canta a terra, em seu brilho envolvida,
nele o céu em fulgor resplandece.

Dai-nos, Pai, gozar sempre da luz
que este mundo ilumina e mantém,
e cantar-vos, e ao Filho, e ao Espírito,
canto novo nos séculos. Amém.

Salmo ................................ 61(62)

Que o Deus da esperança vos encha da alegria e da paz em vossa vida da fé (Rm 15,13).

Só em Deus a minha alma tem repouso,
porque dele é que me vem a salvação!
Só ele é meu rochedo e salvação,
a fortaleza, onde encontro segurança!

Até quando atacareis um pobre homem,
todos juntos, procurando derrubá-lo,
como a parede que começa a inclinar-se,
ou um muro que está prestes a cair?

Combinaram empurrar-me lá do alto,
e se comprazem em mentir e enganar;
enquanto eles bendizem com os lábios;
no coração, bem lá do fundo, amaldiçoam.

Só em Deus a minha alma tem repouso,
porque dele é que me vem a salvação!
Só ele é meu rochedo e salvação,
a fortaleza, onde encontro segurança!

A minha glória e salvação estão em Deus;
o meu refúgio e rocha firme é o Senhor!
Povo todo, esperai sempre no Senhor,
e abri diante dele o coração:
nosso Deus é um refúgio para nós!

Todo homem a um sopro se assemelha,
o filho do homem é mentira e ilusão;
se subissem todos eles na balança,
pesariam até menos do que o vento:

Não confieis na opressão, na violência
nem vos gabeis de vossos roubos e enganos!
E se crescerem vossas posses e riquezas,
a elas não prendais o coração!

Uma palavra Deus falou, duas ouvi:
‘O poder e a bondade a Deus pertencem,
pois pagais a cada um conforme as obras’.

Glória ao Pai...

Leitura breve 1Pd 5,5b-7
Revesti-vos todos de humildade no relacionamento mútuo, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes. Rebaixai-vos, pois, humildemente, sob a poderosa mão de Deus, para que, na hora oportuna, ele vos exalte. Lançai sobre ele toda a vossa preocupação, pois é ele quem cuida de vós.

Protegei-nos, Senhor como a pupila dos olhos.
Guardai-nos, defendei-nos, sob a vossa proteção.

MAGNIFICAT
Ó Senhor, manifestai o poder de vosso braço,
dispersai os soberbos e elevai os humildes.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Irmãos e irmãs caríssimos, exultemos em Deus nosso Salvador, cuja alegria é enriquecer-nos com seus dons; e peçamos com todo fervor:

R. Dai-nos, Senhor, a vossa graça e a vossa paz!

Deus eterno, para quem mil anos são o dia de ontem que passou,
– lembrai-nos sempre que a vida é como a erva que de manhã floresce e à tarde fica seca. R.

Alimentai o vosso povo como maná, para que não passe fome,
– e dai-lhe a água viva para que nunca mais tenha sede. R.

Fazei que os vossos fiéis procurem e saboreiem as coisas do alto,
– e vos glorifiquem com o seu trabalho e o seu descanso. R.

Concedei, Senhor, bom tempo às colheitas,
– para que a terra produza muito fruto. R.

(Intenções livres)

Dai aos que morreram contemplara vossa face,
– e fazei-nos também participar, um dia, da mesma felicidade. R.

Pai nosso...

ANTÍFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos os degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho

Evangelho segundo S. Mateus 25,1-13.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos a seguinte parábola: «O reino dos Céus pode comparar-se a dez virgens, que, tomando as suas lâmpadas, foram ao encontro do esposo.
Cinco eram insensatas e cinco eram prudentes.
As insensatas, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo,
enquanto as prudentes, com as lâmpadas, levaram azeite nas almotolias.
Como o esposo se demorava, começaram todas a dormitar e adormeceram.
No meio da noite ouviu-se um brado: ‘Aí vem o esposo; ide ao seu encontro’.
Então, as virgens levantaram-se todas e começaram a preparar as lâmpadas.
As insensatas disseram às prudentes: ‘Dai-nos do vosso azeite, que as nossas lâmpadas estão a apagar-se’.
Mas as prudentes responderam: ‘Talvez não chegue para nós e para vós. Ide antes comprá-lo aos vendedores’.
Mas, enquanto foram comprá-lo, chegou o esposo: as que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial; e a porta fechou-se.
Mais tarde, chegaram também as outras virgens e disseram: ‘Senhor, senhor, abre-nos a porta’.
Mas ele respondeu: ‘Em verdade vos digo: Não vos conheço’.
Portanto, vigiai, porque não sabeis o dia nem a hora».

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement