Aleteia
La fête du jour

Domingo, 24 de setembro
Nossa Senhora das Mercês

Invocação Mariana

Nossa Senhora das Merc√™s √© uma das designa√ß√Ķes atribu√≠das √† Virgem Maria na Igreja Cat√≥lica. A devo√ß√£o originou-se na Espanha, da√≠ tamb√©m ser conhecida por Nossa Senhora das Mercedes, e foi popularizada pelo frades da Ordem de Nossa Senhora das Merc√™s, congrega√ß√£o fundada por S√£o Pedro Nolasco. Foi considerada protetora dos crist√£os cativos dos mouros na √Āfrica, principalmente os marinheiros e mercadores subjugados no Mar Mediterr√Ęneo.

A devoção chegou a Portugal, onde se difundiu de Alenquer para Santarém e para Lisboa. A devoção foi trazida pelos frades Mercedários para o Brasil, onde floresceram diversas confrarias, formadas principalmente por escravos, os quais consideravam Nossa Senhora das Mercês padroeira de sua libertação.

Durante a invas√£o moura na Espanha, os crist√£os estavam sendo perseguidos, e muitos eram escravizados. Numa noite, S√£o Pedro Nolasco, S√£o Raimundo de Pe√Īafort e o rei de Arag√£o, Dom Jaime I, tiveram o mesmo sonho. No sonho, apareceu a Virgem, dizendo-lhes para fundar uma ordem com o objetivo de proteger os crist√£os e libertar os fi√©is cativos. Pedro Nolasco e Raimundo, descobriram que tiveram o mesmo sonho, e ambos pediram a permiss√£o do rei para fundar a ordem, e para sua surpresa, o rei tamb√©m tivera o mesmo sonho. Ent√£o, foi criada a Ordem Real, Celestial e Militar de Nossa Senhora das Merc√™s para a Reden√ß√£o dos Cativos, e S√£o Pedro Nolasco foi nomeado o gr√£o-mestre da Ordem. E assim, a devo√ß√£o √† Virgem das Merc√™s foi se espalhando por toda a Europa.

A festa de Nossa Senhora das Merc√™s √© celebrada com grandes louvores no Peru, onde ela √© padroeira. No Brasil, desde o s√©culo XVII na cidade de Jaic√≥s, Piau√≠, √© festejada com novena de 15 a 24 de setembro, e no √ļltimo dia a programa√ß√£o conta com missas, algumas presididas pelo bispo diocesano, e prociss√£o, que atraem milhares de fi√©is de mais de nove Estados do Brasil.

√Č tamb√©m celebrada na cidade de Itapipoca, Cear√°, do dia 14 a 24 de setembro, sendo algumas celebra√ß√Ķes presididas pelos bispos.

Em São João del Rei, Minas Gerais, Nossa Senhora das Mercês é celebrada com pompa. São dez dias de festa, com novena solene e, por tradição, com sabor barroco; a festa conta com a participação de diversos bispos do Brasil, além de missas cantadas. No dia da Virgem, à noite, a festa se encerra com a majestosa procissão, que leva milhares de fiéis junto aos andores de Nossa Senhora das Mercês, São Pedro Nolasco e São Raimundo Nonato. Um dos atrativos é o belíssimo show pirotécnico à chegada da procissão.

Em Tijuco, distrito de Brumadinho, Minas Gerais, é celebrado o jubileu em honra à Nossa Senhora. Existe uma cidade em Minas Gerais chamada Mercês, onde há uma belíssima igreja em homenagem à Nossa Senhora e onde o jubileu é comemorado por dez dias, tendo seu ápice no dia 24 de setembro.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Oração da manhã

Desde a aurora ansioso vos busco,
para ver vossa glória e poder.
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém

Hino
√ď Criador do universo,
a sombra e a luz alternais,
e, dando tempos ao tempo,
dos seres todos cuidais.

Qual pregoeiro do dia,
canta nas noites o galo.
Separa a noite e a noite,
brilhando a luz no intervalo.

Também por ele acordada,
a estrela d'alva, brilhante,
expulsa o erro e a treva
com sua luz radiante.

Seu canto os mares acalma,
ao navegante avigora;
a própria Pedra da Igreja
ouvindo o c√Ęntico chora.

Jesus, olhai os que tombam.
O vosso olhar nos redime:
se nos olhais, nos erguemos,
e prantos lavam o crime.

√ď luz divina, brilhai,
tirai do sono o torpor.
O nosso alento primeiro
entoe o vosso louvor.

√ď Cristo, Rei piedoso,
a vós e ao Pai, Sumo Bem,
glória e poder, na unidade
do Espírito Santo. Amém.

Salmo.................................................................................................... 149
Os filhos da Igreja, novo povo de Deus, se alegrem no seu Rei Cristo Jesus (Hesíquio)

Cantai ao Senhor Deus um canto novo,
e o seu louvor na assembleia dos fiéis!
Alegre-se Israel em quem o fez,
e Si√£o se rejubile no seu Rei!

Com danças glorifiquem o seu nome,
toquem harpa e tambor em sua honra!
Porque, de fato, o Senhor ama seu povo
e coroa com vitória os seus humildes.

Exultem os fiéis por sua glória,
e cantando se levantem de seus leitos,
com louvores do Senhor em sua boca
e espadas de dois gumes em sua m√£o,

para exercer sua vingan√ßa entre as na√ß√Ķes,
e infligir o seu castigo entre os povos,
colocando nas algemas os seus reis,
e seus nobres entre ferros e correntes,

para aplicar-lhes a sentença já escrita:
Eis a glória para todos os seus santos.

Glória ao Pai...

Leitura breve Ap 7,10b-12
A salvação pertence ao nosso Deus, que está sentado no trono, e ao Cordeiro. O louvor, a glória e a sabedoria, a ação de graças, a honra, o poder e a força pertencem ao nosso Deus para sempre. Amém.

Cristo, Filho do Deus vivo, tende piedade e compaix√£o!
Glorioso estais sentado, à direita de Deus Pai.

BENEDICTUS
O Reino dos Céus pode ser comparado a um pai de família, que saiu de manhã, contratando operários para trabalhar em sua vinha.

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos,

para salvar-nos do poder dos inimigos
e da m√£o de todos quantos nos odeiam.

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança

e o juramento a Abra√£o, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo,

a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino,
pois ir√°s andando a frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos,

anunciando ao seu povo a salvação,
que est√° na remiss√£o de seus pecados;

pela bondade e compaix√£o de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,

para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte est√£o sentados

e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz.

Glória ao Pai...

Preces
Louvemos a Cristo Senhor, luz que ilumina todo homem e sol que n√£o tem ocaso; e aclamemos com alegria:

R. Senhor, vós sois nossa vida e salvação!

Criador do universo, nós vos agradecemos este dia que recebemos de vossa bondade,
e em que celebramos a vossa ressurreição. R.

Que o vosso Espírito nos ensine hoje a cumprir vossa vontade,
e vossa Sabedoria sempre nos conduza. R.

Dai-nos celebrar este domingo cheios de alegria,
participando da mesa de vossa Palavra e de vosso Corpo. R.

Nós vos damos graças,
por vossos in√ļmeros benef√≠cios. R.
(Inten√ß√Ķes livres)

Pai nosso ...

Oração
√ď Pai, que resumistes toda a lei no amor a Deus e ao pr√≥ximo, fazei que, observando o vosso mandamento, consigamos chegar um dia √† vida eterna. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Esp√≠rito Santo.

Meditação

N√£o me ser√° permitido dispor dos meus bens como entender?

Estes homens estavam prontos para trabalhar, mas ningu√©m os contratara; eram laboriosos, mas estavam ociosos por falta de trabalho e de patr√£o. Foi ent√£o que uma voz os contratou, que uma palavra os p√īs a caminho e, no seu zelo, n√£o combinaram previamente o pre√ßo do seu trabalho, como tinham feito os primeiros. O senhor avaliou a sua tarefa com sabedoria e pagou-lhes o mesmo que aos outros. Nosso Senhor proferiu esta par√°bola para que ningu√©m diga: ‚ÄúComo n√£o fui chamado na juventude, n√£o posso ser recebido‚ÄĚ. Mostrou assim que, seja qual for o momento da sua convers√£o, todos os homens ser√£o acolhidos. [‚Ķ] Ele saiu ao romper da manh√£, pelas nove horas, pelo meio-dia, pelas tr√™s da tarde e pelas cinco da tarde; podemos aplicar isto ao come√ßo da sua prega√ß√£o, depois ao curso da sua vida e finalmente √† cruz, pois foi a√≠, √† √ļltima hora, que o bom ladr√£o entrou no Para√≠so (Lc 23,43). Para que n√£o nos ocorra incriminar o ladr√£o, Nosso Senhor afirma a sua boa vontade: se tivesse sido contratado, teria trabalhado, mas ningu√©m o contratara.
Aquilo que damos a Deus √© claramente indigno dele, e aquilo que ele nos d√° fica muito al√©m do que merecemos. Somos contratados para um trabalho proporcional √†s nossas for√ßas, mas recebemos um sal√°rio totalmente desproporcionado. [‚Ķ] Ele trata da mesma maneira os primeiros e os √ļltimos: todos receberam um den√°rio com a ef√≠gie do Rei, que significa o P√£o da Vida (Jo 6,35), que √© o mesmo para todos; com efeito, o rem√©dio da vida √© o mesmo para todos os que o tomam.
N√£o podemos censurar ao senhor da vinha a sua bondade, nem podemos comentar negativamente a sua justi√ßa: na sua justi√ßa, ele pagou o que tinha combinado, e na sua bondade mostrou-se misericordioso como quis. Foi para nos dar este ensinamento que Nosso Senhor proferiu esta par√°bola, resumindo tudo isto com estas palavras: ‚ÄúN√£o me ser√° permitido dispor dos meus bens como entender?‚ÄĚ

Santo Efrém, o Sírio (306-373)
Padre da Igreja
Coment√°rio do Evangelho de S√£o Mateus, 15, 15-17; SC 121

Oração da tarde

Dai graças ao Senhor, porque ele é bom!
Eterna é a sua misericórdia!
Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,
como era no princípio, agora e sempre.
Amém.

Hino
Criador generoso da luz,
que criastes a luz para o dia,
com os raios primeiros da luz,
sua origem o mundo inicia.

Vós chamastes de 'dia' o decurso
da manh√£ luminosa ao poente.
Eis que as trevas já descem à terra:
escutai nossa prece, clemente.

Para que sob o peso dos crimes
nossa mente n√£o fique oprimida,
e, esquecendo as coisas eternas,
não se exclua do prêmio da vida.

Sempre à porta celeste batendo,
alcancemos o prêmio da vida,
evitemos do mal o cont√°gio
e curemos da culpa a ferida.

Escutai-nos, ó Pai piedoso,
com o √ļnico Filho tamb√©m,
que reinais com o Espírito Santo
pelos séculos dos séculos. Amém.
Salmo........................................................................................ 109(110),1-5.7
√Č preciso que ele reine, at√© que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus p√©s (1Cor 15, 25).

Palavra do Senhor ao meu Senhor:
'Assenta-te ao meu lado direito
até que eu ponha os inimigos teus
como escabelo por debaixo de teus pés!'

O Senhor estender√° desde Si√£o
vosso cetro de poder, pois Ele diz:
'Domina com vigor teus inimigos;

tu és príncipe desde o dia em que nasceste;
na glória e esplendor da santidade,
como o orvalho, antes da aurora, eu te gerei!'

Jurou o Senhor e manter√° sua palavra:
'Tu és sacerdote eternamente,
segundo a ordem do rei Melquisedec!'

À vossa destra está o Senhor, Ele vos diz:
'No dia da ira esmagar√°s os reis da terra!
Beber√°s √°gua corrente no caminho,
por isso seguir√°s de fronte erguida!'

Glória ao Pai...

Leitura breve 2Cor 1,3-4
Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das miseric√≥rdias e Deus de toda consola√ß√£o. Ele nos consola em todas as nossas afli√ß√Ķes, para que, com a consola√ß√£o que n√≥s mesmos recebemos de Deus, possamos consolar os que se acham em toda e qualquer afli√ß√£o.

√ď Senhor, v√≥s sois bendito no celeste firmamento!
Vós sois digno de louvor e de glória eternamente!

MAGNIFICAT
Agora chama os oper√°rios, e paga o seu sal√°rio.

A minha alma engrandece ao Senhor
e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;
pois ele viu a pequenez de sua serva,
desde agora as gera√ß√Ķes h√£o de chamar-me de bendita.

O Poderoso fez por mim maravilhas
e Santo é o seu nome!
Seu amor, de geração em geração,
chega a todos que o respeitam;

demonstrou o poder de seu braço,
dispersou os orgulhosos;
derrubou os poderosos de seus tronos
e os humildes exaltou;

De bens saciou os famintos,
e despediu, sem nada, os ricos.
Acolheu Israel, seu servidor,
fiel ao seu amor,

como havia prometido aos nossos pais,
em favor de Abra√£o e de seus filhos, para sempre.

Glória ao Pai...

Preces
Como membros de Cristo que é nossa cabeça, adoremos o Senhor; e aclamemos com alegria:

R. Senhor, venha a nós o vosso Reino!

Cristo, nosso Salvador, fazei de vossa Igreja instrumento de concórdia e unidade para o gênero humano,
e sinal de salvação para todos os povos. R.

Assisti com vossa contínua presença o Santo Padre e o Colégio universal dos Bispos,
e concedei-lhes o dom da unidade, da caridade e da paz. R.

Fazei-nos viver cada vez mais intimamente unidos a vós,
para proclamarmos com o testemunho da vida a chegada do vosso Reino. R.

Concedei ao mundo a vossa paz,
e fazei reinar em toda parte a segurança e a tranquilidade. R.

Dai aos que morreram a glória da ressurreição,
e concedei que também nós um dia possamos participar com eles da felicidade eterna. R.
(Inten√ß√Ķes livres)

Pai nosso ...

ANT√ćFONA MARIANA
Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.
A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.
Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.
Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos das promessas de Cristo. Amém

SEJAM SANTOS!
Na escola da santidade.

Evangelho segundo S. Mateus 20,1-16a.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus disc√≠pulos a seguinte par√°bola: ¬ęO reino dos C√©us pode comparar-se a um propriet√°rio, que saiu muito cedo a contratar trabalhadores para a sua vinha.
Ajustou com eles um den√°rio por dia e mandou-os para a sua vinha.
Saiu a meia manhã, viu outros que estavam na praça ociosos
e disse-lhes: ‚ÄėIde v√≥s tamb√©m para a minha vinha e dar-vos-ei o que for justo‚Äô.
E eles foram. Voltou a sair, por volta do meio-dia e pelas três horas da tarde, e fez o mesmo.
Saindo ao cair da tarde, encontrou ainda outros que estavam parados e disse-lhes: ‚ÄėPorque ficais aqui todo o dia sem trabalhar?‚Äô.
Eles responderam-lhe: ‚ÄėNingu√©m nos contratou‚Äô. Ele disse-lhes: ‚ÄėIde v√≥s tamb√©m para a minha vinha‚Äô.
Ao anoitecer, o dono da vinha disse ao capataz: ‚ÄėChama os trabalhadores e paga-lhes o sal√°rio, a come√ßar pelos √ļltimos e a acabar nos primeiros‚Äô.
Vieram os do entardecer e receberam um den√°rio cada um.
Quando vieram os primeiros, julgaram que iam receber mais, mas receberam também um denário cada um.
Depois de o terem recebido, começaram a murmurar contra o proprietário, dizendo:
‚ÄėEstes √ļltimos trabalharam s√≥ uma hora e deste-lhes a mesma paga que a n√≥s, que suport√°mos o peso do dia e o calor‚Äô.
Mas o propriet√°rio respondeu a um deles: ‚ÄėAmigo, em nada te prejudico. N√£o foi um den√°rio que ajustaste comigo?
Leva o que √© teu e segue o teu caminho. Eu quero dar a este √ļltimo tanto como a ti.
Não me será permitido fazer o que quero do que é meu? Ou serão maus os teus olhos porque eu sou bom?’.
Assim, os √ļltimos ser√£o os primeiros e os primeiros ser√£o os √ļltimos¬Ľ.

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement