Aleteia
La fête du jour

Domingo, 18 de junho
São Gregório Barbarigo

Cardeal

Gregório Barbarigo nasceu em Veneza, no dia 16 de Setembro de 1625. Oriundo de rica família aristocrata de Veneza recebeu sólida formação religiosa e intelectual e por isto, aos dezoito anos, já era secretário do embaixador de Veneza.

Em 1648, viajou com o embaixador veneziano, Alvise Contarini, ao Congresso de Münster, na Alemanha, para as negociações do Tratado de Vestefália que pôs fim à sangrenta Guerra dos Trinta Anos. Durante o congresso, conheceu o núncio apostólico Fabio Chigi, que o orientou para o sacerdócio. Completou os seus estudos na Universidade de Pádua.

Foi ordenado sacerdote em 1655. Nesse mesmo ano, foi nomeado cónego de Pádua e prelado da Casa pontifícia pelo Papa Alexandre VII (ou Fabio Chigi). Sendo conselheiro e próximo do Papa, tornou-se também referendário do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica. Entre 1657 e 1664 foi bispo de Bérgamo e entre 1664 e 1697 foi bispo de Pádua. Em 1660, foi nomeado cardeal-presbítero de São Tomé, em Parione, e em 1677 optou pelo título cardinalício presbiteral de São Marcos.

Suas atividades apostólicas e pastorais como bispo influenciaram em muito a sua época. Cumprindo o espírito reformador do Concílio de Trento, ele desenvolveu e engrandeceu os seminários de Pádua e de Bergamo, dotando-os com bons professores vindos de vários países da Europa. Incentivou o estudo das línguas orientais no seminário de Pádua e promoveu a unidade entre as Igrejas Católica e Ortodoxa. Fundou também vários seminários que foram colocados sob as regras de São Carlos Borromeu.

Fundou em Pádua uma biblioteca e uma imprensa poliglota, que foi considerada na época uma das melhores da Itália. Para educar e orientar melhor os pais e educadores criou também escolas populares e instituições onde se ensinava religião. Fundou também várias instituições de caridade. Num período de peste, mais de treze mil pessoas tiveram assistência e cuidados de saúde por causa do seu esforço caritativo e humanitário. Constituiu a Congregação dos Oblatos dos Santos Prosdócimo e António. Sendo um hábil diplomata, ele evitou e pacificou várias disputas políticas que podiam tornar-se sangrentas.

Gregório Barbarigo morreu em Pádua, no dia 18 de Junho de 1697. Foi beatificado pelo Papa Clemente XIV no dia 6 de Junho de 1771 e foi canonizado pelo Papa João XXIII no dia 26 de Maio de 1960. A sua vida e obra foi profundamente estudada por João XXIII, que nasceu e trabalhou como sacerdote na diocese de Bergamo.

Vous voulez découvrir d’autres histoires de saints ? Cliquez ici

Aclamai o Senhor, terra inteira,
servi o Senhor com alegria,
vinde a Ele com cânticos de júbilo!

 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém

 

Hino

 

Ó Criador do universo,

a sombra e a luz alternais,

e, dando tempo ao tempo,

dos seres todos cuidais.

 

Qual pregoeiro do dia,

canta nas noites o galo.

Separa a noite e a noite,

brilhando a luz no intervalo.

 

Também por ele acordada,

a estrela d'alva, brilhante,

expulsa o erro e a treva

com sua luz radiante.

 

Seu canto os mares acalma,

ao navegante avigora;

a própria Pedra da Igreja

ouvindo o cântico chora.

 

Jesus, olhai os que tombam.

O vosso olhar nos redime:

se nos olhais, nos erguemos,

e prantos lavam o crime.

 

Ó luz divina, brilhai,

tirai do sono o torpor.

O nosso alento primeiro

entoe o vosso louvor.

Ó Cristo, Rei piedoso,

a vós e ao Pai, Sumo Bem,

glória e poder, na unidade

do Espírito Santo. Amém.

 

 

Cântico do Eclesiástico                          39-16a

Na Terra, a Santíssima Virgem ofereceu sua vida a serviço da vontade de Deus, que é a verdadeira adoração a Deus. No céu, ela rege o cântico de louvor eterno, que sobe como incenso diante do trono de Deus.

 

Ouvi, minhas amadas crianças: que se abram vossas pétalas,

como rosas plantadas à margem de águas correntes;

Exalai o odor doce do incenso,

desabrochai como o lírio.

 

Elevai o doce odor de seus hinos de louvor;

bendizei ao Senhor por tudo o que Ele fez!

Proclamai a grandeza de seu Nome,

Publicai os vossos louvores,

com a música da harpa e do instrumento de corda.

 

Cantai e exultai de alegria ao proclamar:

As obras todas do Senhor são magníficas,

todas as suas ordens são executadas pontualmente.

 

Glória ao Pai...

 

Leitura breve      Ml 1,11

Desde o nascer do sol até ao poente, grande é meu nome entre as nações, em todo lugar se oferece um sacrifício e uma oblação pura ao meu nome, porque grande é o meu nome entre as nações, diz o Senhor dos exércitos. 

 

“Tu me alegras, ó Senhor Deus de Israel,

pois a tua misericórdia é para sempre !”

 

BENEDICTUS

 

Ninguém recebe nada a não ser que lhe tenha sido dado do céu. (Jo 3,27)

 

Bendito seja o Senhor Deus de Israel,
porque a seu povo visitou e libertou;

 
e fez surgir um poderoso Salvador
na casa de Davi, seu servidor,

como falara pela boca de seus santos,
os profetas desde os tempos mais antigos, 


para salvar-nos do poder dos inimigos
e da mão de todos quantos nos odeiam. 

Assim mostrou misericórdia a nossos pais,
recordando a sua santa Aliança 

e o juramento a Abraão, o nosso pai,
de conceder-nos que, libertos do inimigo, 


a ele nós sirvamos sem temor
em santidade e em justiça diante dele,
enquanto perdurarem nossos dias.

Serás profeta do Altíssimo, ó menino, 
pois irás andando a frente do Senhor
para aplainar e preparar os seus caminhos, 


anunciando ao seu povo a salvação,
que está na remissão de seus pecados;

pela bondade e compaixão de nosso Deus,
que sobre nós fará brilhar o Sol nascente,


para iluminar os quantos jazem entre as trevas
e na sombra da morte estão sentados 


e para dirigir os nossos passos,
guiando-os no caminho da paz. 

Glória ao Pai...

 

Preces

O Senhor é a nossa única garantia de defesa. Nós lhe imploramos:

  1. Nós vos louvamos, Senhor, e em vós confiamos!

 

Quando estivermos perto de perder a coragem,

– fazei-nos conhecer o vosso poder. R.

 

Quando vermos injustiças,

– dai-nos a sabedoria e força para proteger os mais fracos. R.

 

Quando a opinião pública contradisser a lei de Deus,

– dai-nos força para que não tenhamos medo de defender a verdade. R.

 

Quando nos sentirmos impotentes,

– mostrai o vosso poder em nós. R.

 

 

(Intenções livres)

 

Pai nosso...

 

Oração

Pai Todo-poderoso és a nossa força na luta contra o mal. Protegei-nos contra todos os golpes do mal, para que possamos atender-vos neste mundo e no próximo.

Isto nós vos pedimos por Cristo nosso Senhor. Amém.

Teve compaixão deles, porque eram como ovelhas sem pastor

 

Salvar é um ato de bondade. «A misericórdia divina estende-se a todo o ser vivo: repreende, corrige, ensina e reconduz, como pastor, o seu rebanho. Ele Se compadece daqueles que recebem os Seus ensinamentos, e dos que se apressam a cumprir os Seus preceitos» (Eclo18,13ss). […]

Os sãos não têm necessidade do médico enquanto estiverem bem; os doentes, pelo contrário, recorrem à sua arte. Da mesma maneira, nesta vida, nós estamos doentes pelos nossos desejos censuráveis, pelas nossas intemperanças […] e outras paixões: temos necessidade de um Salvador. […] Nós, os doentes, temos necessidade do Salvador; extraviados, necessitamos de quem nos guie; cegos, de quem nos dê luz; sedentos, da fonte de água viva, porque «quem beber da água que Eu lhe der nunca mais terá sede» (Jo 4,14). Mortos, precisamos da vida; rebanho, do pastor; crianças, de um educador: sim, toda a humanidade tem necessidade de Jesus. […]

«Cuidarei da que está ferida e tratarei da que está doente. Vigiarei sobre a que está gorda e forte. A todas apascentarei com justiça» (Ez 34,16). Tal é a promessa do bom pastor, que nos apascenta como a um rebanho, a nós que somos pequeninos. Mestre, dá-nos com abundância o Teu pasto, que é a justiça! Seja o nosso pastor e conduz-nos até à Tua montanha santa, até à Igreja que se eleva, que domina as nuvens, que toca os céus. «Eis que Eu mesmo cuidarei das Minhas ovelhas e me interessarei por elas» (cf. Ez 34). […] «Eu não vim para ser servido, mas para servir». É por isso que o Evangelho O mostra cansado, Ele que se afadiga por nós e que promete «dar a Sua vida para resgatar a multidão» (Jo 4,5; Mt 20,28)...

 

São Clemente de Alexandria

(Bispo, teólogo e mártir, 150-c. 215)

Pedagogo, I, 9

Deus faz brotar uma força da fraqueza.

Vinde, demos graças a Deus!

 

Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo,

como era no princípio, agora e sempre.

Amém.

 

Hino

Criador generoso da luz,

que criastes a luz para o dia,

com os raios primeiros da luz,

sua origem o mundo inicia.

 

Vós chamastes de “dia” o decurso

da manhã luminosa ao poente.

Eis que as trevas já descem à terra:

escutai nossa prece, clemente.

 

Para que sob o peso dos crimes

nossa mente não fique oprimida,

e, esquecendo as coisas eternas,

não se exclua do prêmio da vida.

 

Sempre à porta celeste batendo,

alcancemos o prêmio da vida,

evitemos do mal o contágio

e curemos da culpa a ferida.

 

Escutai-nos, ó Pai piedoso,

com o único Filho também,

que reinais com o Espírito Santo

pelos séculos dos séculos. Amém.

Salmo 113 A (114)

Sabei que também vós, que renunciastes a este mundo, saístes do Egito (Sto. Agostinho).                     

Celebrai o Senhor porque ele é bom, porque o seu Amor é para sempre! 

 


Quando o povo de Israel saiu do Egito,
e os filhos de Jacó, de um povo estranho, 
Judá tornou-se o templo do Senhor,
e Israel se transformou em seu domínio. 

O mar, à vista disso, pôs-se em fuga,
e as águas do Jordão retrocederam; 
as montanhas deram pulos como ovelhas,
e as colinas, parecendo cordeirinhos. 

Ó mar, o que tens tu, para fugir? *
E tu, Jordão, por que recuas deste modo? 
Por que dais pulos como ovelhas, ó montanhas?  
E vós, colinas, parecendo cordeirinhos? 

Treme, ó terra, ante a face do Senhor,
ante a face do Senhor Deus de Jacó! 
O rochedo ele mudou em grande lago,
e da pedra fez brotar águas correntes!

 

Glória ao Pai...

 

Leitura breve            1Pd 1,3-5
Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo, para uma esperança viva, para uma herança incorruptível, que não estraga, que não se mancha nem murcha, e que é reservada para vós nos céus. Graças à fé, e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos. 

 

É justo o Senhor em seus caminhos,

é santo em toda obra que faz!

 

MAGNIFICAT

O vosso reino, Senhor, é para sempre!

 

A minha alma engrandece ao Senhor

e se alegrou o meu espírito em Deus, meu Salvador;

pois ele viu a pequenez de sua serva,

desde agora as gerações hão de chamar-me de bendita. 

O Poderoso fez por mim maravilhas

e Santo é o seu nome! 
Seu amor, de geração em geração,

chega a todos que o respeitam; 

demonstrou o poder de seu braço,

dispersou os orgulhosos;

derrubou os poderosos de seus tronos

e os humildes exaltou;

 

De bens saciou os famintos,

e despediu, sem nada, os ricos.

Acolheu Israel, seu servidor,

fiel ao seu amor,

 

como havia prometido aos nossos pais,

em favor de Abraão e de seus filhos, para sempre. 


Glória ao Pai...

 

Preces
Nada podemos fazer sem a ajuda de Deus. Peçamos-lhe com amor e confiança:

R. Senhor, fortalecei-nos em nossa fraqueza.

 

Quando nos sentirmos impotentes,

- mostrai o vosso poder em nós. R.

 

Quando estivermos oprimidos e desprezados,

- mostrai-nos a nossa dignidade de cristãos. R.

 

Quando houver falta de confiança e insegurança,

- ajudai-nos a dar passos pequenos e significativos. R.

 

Quando estiverem diante de vós nossos irmãos e irmãs falecidos

- fazei que participem da vossa glória, onde vosso Filho e o Espírito Santo reinam convosco eternamente. R.


Cristo, rei da eterna glória, que nos mandastes celebrar a eucaristia para anunciar a vossa morte até à vossa vinda ao final dos tempos, 
– tornai participantes da vossa ressurreição todos os que morreram no vosso amor R.

 

(Intenções livres)

 

Pai nosso ...

 

ANTÍFONA MARIANA

Salve Rainha, Mãe de Misericórdia, vida e doçura esperança nossa salve! A vós bradamos degredados filhos de Eva.

A vós suspiramos gemendo e chorando neste vale de lágrimas.

Eia, pois advogada nossa, esses vossos olhos misericordiosos a nós volvei, e depois deste desterro, mostrai-nos Jesus, bendito fruto do vosso ventre, ó clemente, ó piedosa ó doce e sempre Virgem Maria.

Rogai por nós Santa Mãe de Deus, para que sejamos dignos da promessa de Cristo. Amém

 

 

 

SEJAM SANTOS!

Na escola da santidade.

Evangelho segundo S. Mateus 9,36-38.10,1-8. 
Ao ver as multidões, encheu-Se de compaixão, porque andavam fatigadas e abatidas, como ovelhas sem pastor. Jesus disse então aos seus discípulos:
«A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos.
Pedi ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara».
Jesus chamou doze discípulos e deu-lhes poder de expulsar os espíritos malignos e de curar todas as enfermidades e doenças.
São estes os nomes dos doze apóstolos: primeiro, Simão, chamado Pedro, e André, seu irmão; Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão;
Filipe e Bartolomeu; Tomé e Mateus, o publicano; Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu;
Simão, o Cananeu, e Judas Iscariotes, que foi quem O entregou.
Jesus enviou estes Doze, dando-lhes as seguintes instruções: «Não sigais o caminho dos gentios, nem entreis em cidade de samaritanos.
Ide primeiramente às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Pelo caminho, proclamai que está perto o reino dos Céus».
Curai os enfermos, ressuscitai os mortos, sarai os leprosos, expulsai os demónios. Recebestes de graça; dai de graça.

Newsletter
Recevez Aleteia chaque jour. Abonnez-vous gratuitement